Vacinados contra gripe podem ter mais resistência à Covid-19

Vacina

Pesquisa aponta queda nas taxas de complicações entre os imunizados. Vacinação contra a influenza começou na terça-feira, 12

Na última terça-feira, 12/4, o Ministério da Saúde deu início à Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, que visa proteger 90% do público-alvo até 9 de julho, ou seja, 79,7 milhões de brasileiros. Segundo pesquisa realizada pela Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, o imunizante pode ser importante também no combate ao novo coronavírus.

O estudo, publicado no American Journal of Infection Control, analisou 27.201 pessoas que tinham feito teste para a Covid-19 até julho de 2020. Desse total, 12.997 foram imunizadas contra a influenza anteriormente. A quantidade de óbitos pouco se alterou, e o total de infectados teve uma mudança pouco significativa: 4% entre os vacinados e 4,9% nos demais.

A taxa de pessoas que foram hospitalizadas, ou necessitaram de ventilação mecânica e cuidados intensivos foi menor entre os vacinados. Assim como a duração das internações. Dos pacientes não vacinados, 45% foram internados. O número de internados cai para 32% entre os imunizados. Os vacinados têm metade das ventilações dos demais, 10% contra 20%.

Entre os cuidados intensivos, a alteração é pequena, 19% dos vacinados precisaram do serviço contra 26% dos não vacinados. O tempo que a pessoa fica internada cai quatro dias, os não imunizados ficaram 16 dias no hospital, em média. A pesquisa não chegou a uma conclusão quanto aos fatores que sustentam as diferenças.

O Ministério da Saúde sugere que a vacinação contra a influenza pode ajudar a diminuir a sobrecarga no sistema de saúde. Isso porque evita complicações contra a gripe, principalmente nos grupos mais vulneráveis, e combate sintomas que podem ser confundidos com os da Covid-19.

O órgão também recomenda que as duas doses da imunização contra a Covid-19 sejam priorizadas, para se vacinar contra a gripe depois de 14 dias. Caso a vacina do coronavírus ainda não tenha chegado na faixa etária da pessoa, ela pode procurar a da influenza.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe acontece em três etapas, divididas entre os grupos prioritários:

– 1ª etapa — de 12 de abril a 10 de maio: crianças de 6 meses a 6 anos, gestantes, mães que estão em fase de amamentação, povos indígenas e profissionais de saúde (25,2 milhões de pessoas).**

– 2ª etapa — de 11 de maio a 8 de junho: pessoas com mais de 60 anos e professores das escolas públicas e privadas (32,8 milhões de pessoas).**

– 3ª etapa — de 9 de junho a 9 de julho: pessoas com doenças crônicas (deficiências permanentes, diabetes, obesidade, doenças respiratórias, cardíacas, hepáticas, entre outras), população privada de liberdade, jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas, além de outros grupos de trabalhadores (caminhoneiros, seguranças, forças armadas, portuários, funcionários do sistema prisional e servidores do transporte coletivo).**

Olá!

Este é o blog Vida Saudável, um espaço focado nas melhores dicas e informações sobre saúde e bem-estar, tudo com a assinatura da gestão Pró-Saúde.

Aproveite!


Últimos posts

Ampliar fonte
Contraste