Sino da Vitória, que celebra alta clínica, é lançado Hospital de Campanha do Hangar

Hospital de Campanha do Hangar

Com muita alegria e emoção, nesta sexta-feira (19), dois pacientes já tocaram o sino durante saída da unidade

Comemorar a sobrevivência e celebrar a vida são os principais objetivos da ação de humanização iniciada nesta sexta-feira, 19/2, dentro do Hospital de Campanha do Hangar, em Belém.

Para os pacientes internados na unidade, poder comemorar cada vitória não tem preço. Na maior unidade hospitalar da capital criada pelo Governo do Estado, e gerenciada pela Pró-Saúde, para o tratamento da Covid-19, todas as altas clínicas são celebradas como vitórias.

Para confirmar que a cura da doença é possível e motivar outros pacientes que seguem em tratamento, a partir de agora, as altas melhoradas ocorridas no Hangar serão celebradas com o Sino da Vitória, projeto implantado para tornar as recuperações conhecidas e, assim, aumentar a esperança de cada paciente.

“O projeto é mais um diferencial pensado para elevar a estima e esperança dessas pessoas. Estamos falando de um Hospital de Campanha, que acolhe e cuida de pessoas com essa doença tão grave. Mesmo assim, realizamos diversas ações de humanização para que os pacientes internados se sintam acolhidos, respeitados e, sobretudo, que entendam que o nosso compromisso é reestabelecer a saúde deles por meio, também, desse olhar mais cauteloso, cuidadosos e afetuoso. O Sino da Vitória confirma isso”, afirma a gerente de qualidade da Pró-Saúde, Viviane Lesses.

Entre os pacientes que ganharam festa e comemoraram a saída do hospital está Reginaldo Braga dos Santos, 46, de Ananindeua, Região Metropolitana de Belém. Emocionado, ele conta que o momento ficará marcado para sempre na memória e, também, no coração. “Acho que foram os dias mais difíceis de toda a minha vida. Em muitos momentos eu achava que morreria, mas Deus, minha fé e esses profissionais me curaram. Isso tudo aqui faz com que a gente se sinta mais confiante. Sou muito grato a todos esses profissionais que estão aí dentro. Se não fosse por eles, eu talvez não estivesse aqui”, declara.

Outra paciente que deixou o hospital com muita festa e badalou o sino nesta sexta-feira, foi Débora Silveira de Souza Santos, 47, da capital paraense. A felicidade foi demonstrada em lágrimas de agradecimento. “Eu fiquei pouco tempo aqui, mas fui tão bem tratada. Eu estou saindo bem e andando, isso é motivo de felicidade e comemoração. Eu sou tão grata a todos vocês e peço que Deus abençoe a cada um. Sem vocês nada disso estaria acontecendo”, enfatiza a dona de casa.

Atendimentos e estrutura

O Hospital de Campanha do Hangar tem, neste sábado (20), 132 pacientes, sendo 61 em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).  Ao todo, 4.040 pacientes já foram atendidos na unidade, do quais mais de 2,7 mil já receberam alta.

O grande aumento das altas e recuperação dos pacientes reiteram o compromisso da gestão da unidade e das equipes assistenciais. “O padrão e a estrutura que nós temos aqui no Hangar não deixa a desejar a nenhuma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de hospitais tradicionais, com parâmetros tecnicamente resolutivos. Essa estrutura de equipamentos, pessoas e medicamentos, além dos protocolos clínicos atualizados, nos permite prestar uma assistência com qualidade e excelência, proporcionando a  recuperação de mais pacientes”, afirma a diretora hospitalar, Alba Muniz.

Ampliar fonte
Contraste