Os riscos das infecções generalizadas e como causam a paralisação dos órgãos

sepse

A sepse é uma das principais causas de óbitos e podem ocorrer fora de ambientes hospitalares

Entre os dias 17 e 18 de agosto, o Hospital Yutaka Takeda (HYT), unidade gerenciada pela Pró-Saúde em Parauapebas, promoveu um treinamento especial sobre a sepse e como detectá-la ainda no estágio inicial da doença.

O objetivo do treinamento é reforçar os protocolos internos da unidade e transmitir o conhecimento necessário para ajudar a salvar vidas. A sepse é desencadeada no corpo por uma inflamação no organismo, causada geralmente por bactérias e gerando uma infecção generalizada.

Se não for detectada precocemente, o quadro clínico pode se tornar ainda mais grave e gerar a falência de órgãos e até levar a morte.

Entre os sintomas está a disfunção orgânica, relacionada ao mau funcionamento de alguns órgãos, como a diminuição do volume urinário, da pressão arterial e rebaixamento do nível de consciência. Em outros casos, é por meio da Síndrome da Resposta Inflamatória Sistêmica (SIRS), que corresponde a febre acima de 37,8º, aumento da frequência cardíaca, falta de ar entre outros.

“Por isso devemos ficar atentos, pois a doença se manifesta em diferentes estágios clínicos e responde de forma desregulada a presença de infecções no organismo”, relatou Laiani Santos, enfermeira do HYT.

Para o biomédico Pablo Pierre, é de grande importância desenvolver o senso crítico dos profissionais da unidade, para que haja a identificação precoce dos casos e aplicação da terapêutica adequada de acordo com os protocolos clínicos da instituição.

“Nossa comissão, tem o compromisso de orientar e fornecer base científica aos profissionais do HYT, para que nossos pacientes recebam o diagnóstico e tratamento precoce, sendo nosso maior intuito, promover a saúde, recuperação e qualidade de vida dos pacientes, mesmo após a alta médica”, finalizou.

 

Prevenção

Esse alerta, realizado durante dois dias, pelos integrantes da Comissão de Prevenção e Tratamento de Sepse do HYT, além de reforçar a questão da identificação rápida da doença, também orientou sobre as formas de prevenção.

 

Mudanças de hábitos reduzem os riscos de infecção

A sepse também está relacionada com hábitos inadequados e que aumentam o risco para problemas de saúde. Entre os hábitos que ajudam na prevenção estão:

– Reforçar a higiene pessoal: passar fio dental e escovar os dentes após as refeições, lavar as mãos ao chegar da rua;

– Antes das refeições, faça a higienização das mãos com água e sabão ou com o uso do álcool em gel para preparas os alimentos. A limpeza das mãos ajuda a eliminar microorganismos causadores de infecções;

– Ter uma vida com hábitos saudáveis: comer carnes magras, frutas, verduras e alimentos naturais em geral. Além disso, ter um sono de qualidade e praticar exercícios físicos, ajudam a fortalecer o sistema imunológico, protegendo o organismo de doenças.

– Vacinação: o risco de sepse pode ser diminuído, principalmente em crianças, respeitando-se o calendário de vacinação.

 

Compromisso com o paciente

Esse compromisso da instituição com a qualidade dos atendimentos prestados, também é evidenciado por meio por importantes certificações que demonstram a preocupação da unidade com a qualidade e segurança no atendimento.

O Hospital Yutaka Takeda é certificado com a ONA 3 – Acreditado com Excelência, reconhecimento máximo concedido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), que avalia a qualidade, segurança e gestão integrada.

A unidade também foi o primeiro hospital no Brasil certificada pelo Programa Nacional de Qualidade (PNQ), do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN), que reconhece a qualidade da assistência da instituição.

O HYT conta ainda com outras certificações importantes, como o Green Kitchen e o Selo de Hospital Saudável.