Janeiro Branco: os desafios da saúde mental em tempo de pandemia do novo coronavírus

Janeiro Branco

Distanciamento social, desemprego, dificuldades financeiras e o luto foram fatores que contribuíram para vários problemas mentais no Brasil, segundo especialista do Hospital Metropolitano

O ano de 2021 já começa com uma das campanhas mais importantes no Brasil, o Janeiro Branco, que convida a população a discutir a importância do cuidado com a saúde mental em busca de mais felicidade e qualidade de vida.

Nesse período de pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a campanha assume ainda mais relevância, segundo a psicóloga Elzelis Santiago, do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua (PA).

“Estamos passando por um momento atípico e, certamente, com reflexos na saúde mental da população”, explicou a psicóloga. “O desemprego e a morte de pessoas por conta da Covid-19 acentuou mais a condição da depressão”, acrescenta.

De maio a junho de 2020, o Hospital Metropolitano, unidade do Governo do Pará, sob gestão da Pró-Saúde, atendeu 184 pacientes com coronavírus, que contaram com o auxílio de quase 100 colaboradores, entre médicos, enfermeiros, fisioterapeuta, psicólogos e serviços gerais.

Um país ansioso

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a depressão afeta mais de 350 milhões de pessoas no planeta. A ansiedade atinge 18,6 milhões de brasileiros. No caso do suicídio, são registrados cerca de 12 mil ocorrências por ano no Brasil.

A psicóloga Elzelis Santiago ressalta outro dado curioso. “Ainda de acordo com a OMS, o Brasil é considerado o país mais ansioso do mundo e o quinto mais depressivo. Com isso percebemos a necessidade de falar sobre o assunto”, ressaltou.

Atitudes que podem ajudar a nossa mente

“É muito importante que as pessoas saibam buscar um profissional para ajudá-la. Mas existem algumas atitudes que podemos tomar para mudar a saúde da nossa mente”, disse a psicóloga.

A profissional dá outras dicas:

1. Pratique um esporte, pois o corpo produz serotonina e endorfina, neurotransmissores relacionados à sensação de bem-estar. Isso faz com que diminua os sintomas de estresse e ansiedade, além de influenciar no humor, no apetite, no ritmo cardíaco e no sono”, disse a psicóloga que aproveitou para dar outras dicas;

2. Dormir pelo tempo necessário, entre seis e oito horas ininterruptas diárias, ajuda no descanso da mente;

3. Procure atividade que lhe ajudará a manter a mente mais relaxada, como: ouvindo uma música, praticar exercícios de respiração ou meditar.

4. Pratique uma atividade pelo menos duas vezes na semana;

5. Na pandemia devemos manter o distanciamento social, mas é importante manter o contato com os amigos. Use a internet para fazer chamadas por vídeo e se encontrar com as pessoas que você gosta virtualmente e em segurança.