Ação no Hospital Oncológico Infantil estimula a doação de sangue e medula óssea

Carnaval no Oncológico Infantil

A solidariedade está em alta em todo este mês de fevereiro no Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, unidade do Governo, administrada pela Pró-Saúde. Desde o dia 1º até nesta quinta-feira, 11 de fevereiro a campanha “Carnaval Solidário” está captando doadores de sangue e ampliando o cadastro de medula óssea.

O Grupo de Trabalho de Humanização (GTH), formado por diversas áreas do Oncológico Infantil, decidiu formar “bloquinhos” com o objetivo de sensibilizar os colaboradores, voluntários e população em geral. No caso, apenas os profissionais que ainda não foram imunizados contra a Covid-19 pode doar sangue, de acordo com as orientações de saúde.

As atividades são desenvolvidas levando-se em consideração todos os protocolos de segurança e distanciamento social impostos em decorrência da pandemia da Covid-19.

Jaasai Ribeiro, que preside o GTH, explica a proposta desenvolvida pela instituição. “Por meio dessa brincadeira lúdica decidimos formar seis equipes compostas por 4 pessoas, as quais têm a missão de captar doadores de sangue. Cada grupo, de modo criativo, usa sua estratégia para o desafio de conseguir o maior número de pessoas neste período de carnaval”, explicou.

Mobilização entre os profissionais

Para conquistar a adesão do público, os integrantes de cada um dos seis “bloquinhos” utilizam diferentes estratégias. Foi o que fez a enfermeira Karla Luz, que se caracterizou de Doutora Brinquedos, personagem de uma série de desenho infantil. Com o uso de uma caixa de som com rodinhas, ao som de marchinhas de carnaval, ela e mais três colegas de sua equipe de mobilização visitaram alguns dos andares do hospital em busca do agendamento de possíveis doadores. “Fizemos até uma paródia para chamar a atenção de todos, isso foi para dar coerência à proposta e ar da graça. Participar desse bloquinho nos faz pensar que precisamos ser solidários sempre”, comentou Karla.

As coletas de sangue acontecerão nas manhãs e tardes dos dias 12, 19 e 26 de fevereiro. Com o apoio da Fundação Hemopa, serão disponibilizados micro-ônibus para transportar, nos períodos da manhã e tarde, 15 colaboradores do Hospital Oncológico por cada viagem ao serviço de coleta.

Ildilane Carvalho, enfermeira da Agência Transfusional do Oncológico Infantil, comenta sobre o engajamento social. “Com essa campanha buscamos colaborar com o Hemopa para que não haja o desabastecimento de sangue, pois isso poderia comprometer o tratamento de muitos pacientes, colocando em risco a vida das pessoas”, observou.

O diretor Hospitalar, Fábio Machado, reforça acerca do valor da ação solidária e destaca a questão da segurança em tempos de pandemia. “Entendo que essa ação é uma atitude nobre que denota o exercício do bem ao próximo. E ao sabermos dessa atividade nos preocupamos em orientar os participantes para que tudo fosse feito tomando-se todos os cuidados exigidos pelas autoridades sanitárias”, pontuou Fábio.

A Humanização é uma das diretrizes institucionais da Pró-Saúde, entidade filantrópica, com mais de 50 anos de história, que administra o Oncológico Infantil. A entidade orienta seus colaboradores na busca para o cuidado centrado nas pessoas, estabelecendo vínculos fraternos para usuários, acompanhantes e colaboradores.

Além dos colaboradores do hospital a campanha também está mobilizando pessoas da população em geral para fazerem as doações. Os interessados devem dirigir-se à Fundação Hemopa, munidos de documentos, e informar o código 1766, destinando o material coletado ao Oncológico Infantil.

Orientação

De acordo com o Ministério da Saúde (MS), na última segunda-feira, 1º de fevereiro, os brasileiros que já receberam a dose da vacina contra a Covid-19 não podem fazer transfusões de sangue.

O MS recomenda que as pessoas façam a doação antes de serem vacinadas contra a Covid-19 em função do impedimento temporário para doação após o recebimento de certos tipos de vacinas.

Ampliar fonte
Contraste