Voluntários

Voluntariado à distância: Como manter ações durante a pandemia

Pró-Saúde incentivou que parte dos projetos de voluntários em suas unidades de saúde continuassem acontecendo de forma remota

Nesta sexta-feira (28) é celebrado o Dia Nacional do Voluntariado. A data, instituída pela Lei 7.352 em 1985, busca reconhecer e destacar o trabalho das pessoas que doam tempo e talento, de maneira voluntária, para causas de interesse social e para o bem da comunidade.

Ao reconhecer a importância do voluntariado, a Pró-Saúde, uma das maiores entidades filantrópicas de gestão hospitalar do país, está utilizando estratégias à distância e até o ambiente virtual para manter em atividade seu Programa de Voluntariado.

Atualmente, cerca de 350 voluntários exercem atividades em hospitais gerenciadas pela instituição, presente em todas as regiões do Brasil. Eles atuam como contadores de histórias, oferecem apoio na realização de eventos, cursos e oficinas, promovem interações musicais e assistência religiosa, entre outras atividades.

Um exemplo desta adaptação é a continuidade do projeto Octos, do Hospital Materno-Infantil de Barcarena, no interior do Pará. A ação consiste na confecção de polvos de crochê, utilizados pelos bebês da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal, como complemento terapêutico ao tratamento.

Originalmente, a confecção dos itens acontecia em oficina presencial, junto com as mães dos bebês. Com a pandemia, os voluntários passaram a produzir as peças em casa, enviando-as para o hospital depois de prontas. Em outro projeto, doulas voluntárias gravam e enviam vídeos às gestantes atendidas, mantendo o vínculo e a assistência, mesmo durante o isolamento social.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 6,9 milhões de brasileiros realizaram trabalho voluntário no ano passado.

Todas as informações sobre o Programa de Voluntariado da entidade e o formulário de inscrição, estão disponíveis aqui.