A vacina BCG e os sintomas da tuberculose

Vacina BCG completa 45 anos no Brasil

Imunizante é destaque contra tuberculose, doença que ainda mata cerca de 4,7 mil pessoas por ano no país

Nesta sexta-feira , 1 de julho, a vacina BCG (Bacilo de Calmette & Guérin), imunizante contra a tuberculose, completa 45 anos no Calendário Nacional de Vacinação brasileiro.

Desde 1977, o Ministério da Saúde a incorporou no Programa Nacional de Imunizantes, porém, nos últimos anos, a taxa de cobertura vêm caindo em todo o país.

De acordo com dados do governo federal, neste ano, até o momento, o Brasil atingiu 41,3% da cobertura vacinal da BCG em 2022. Em 2021 e 2020, a cobertura foi de 68,6% e 74,7%, respectivamente. A meta é atingir pelo menos 90% do público-alvo.

No país, a recomendação é que o imunizante BCG seja aplicado em dose única, em recém-nascidos ou crianças de até cinco anos que ainda não tenham sido vacinadas, além de casos específicos para pessoas de qualquer idade que convivam com portadores de hanseníase e estrangeiros.

A tuberculose é uma doença infectocontagiosa causada pelo Mycobacterium tuberculosis, popularmente conhecida como Bacilo de Koch (BK), transmitida por vias aéreas e afetando principalmente os pulmões. Se não tratada adequadamente, pode provocar sérios problemas respiratórios, fraqueza e até morte.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), dois bilhões de pessoas, ou seja, um terço da população mundial, estão infectadas. O Brasil ocupa o 17º lugar entre os 22 países responsáveis por 82% do total de casos de tuberculose no mundo e, embora seja uma doença passível de ser prevenida, tratada e mesmo curada, a tuberculose ainda mata cerca de 4,7 mil pessoas todos os anos no país.

Entre os principais sintomas estão tosse por mais de duas semanas, produção de catarro, febre, sudorese, cansaço, dor no peito e falta de apetite. Ao identificar algum destes sinais, é essencial buscar atendimento médico para diagnóstico e tratamento.

Por mais que a pandemia tenha aberto novamente uma discussão mundial sobre a importância e eficiência das vacinas, a imunização é uma das principais formas de prevenir diversas comorbidades, especialmente as que afetam crianças. Uma prova da sua eficácia é a diminuição drástica da incidência de várias doenças e de suas complicações ao longo da vida, como sarampo, gripe, varíola e a própria tuberculose.

O Sistema único de Saúde (SUS) disponibiliza, atualmente, por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI), vacinas para mais de 20 tipos de doença. Grande parte é direcionada ao público infantil, como por exemplo, imunizantes contra tuberculose, hepatite B, coqueluche, pneumonia, sarampo, rubéola e poliomielite.

Para essas e outras informações, acompanhe o Blog Vida Saudável e siga as redes sociais da Pró-Saúde!