O câncer de mama pode ser hereditário?

No Minuto da Saúde desta semana, respondemos essa pergunta e demais dúvidas sobre a doença e a hereditariedade

Um dos objetivos da campanha mundial do Outubro Rosa é disseminar informações primordiais sobre o tipo de câncer que mais mata mulheres no Brasil. E algo que muitas pessoas ainda não sabem é que 10% a 15% dos casos de câncer de mama são herdados por familiares, sendo eles de primeiro ou segundo grau.

Por esse motivo que nesta quarta-feira, 21/10, a Pró-Saúde buscou responder em vídeo, questionamentos enviados nas redes sociais e em unidades gerenciadas pela instituição em diversas regiões do país.

O conteúdo integra a seção Minuto da Saúde, que aborda no Outubro Rosa um tema diferente sobre o câncer de mama por semana. Anteriormente, falamos sobre as formas de diagnóstico precoce: mamografia e autoexame.

As perguntas foram respondidas por Gustavo Barnabé, cirurgião oncológico do Hospital Madre de Dio, unidade gerenciada pela Pró-Saúde em São Miguel do Iguaçu, no Paraná. Confira:

Quais as chance do câncer de mama hereditário ser repassado para as próximas gerações?

Se confirmada a hereditariedade, a doença tem 50% de chance de ser transmitida para os filhos da pessoa diagnosticada. Isso está relacionado com síndromes genéticas.

Vale lembrar que 70% dos casos de câncer de mama são esporádicos, ou seja, aqueles originados de fatores de risco individuais, como o envelhecimento e a obesidade.

Outros tipos de câncer na família também são fatores de risco?

Sim, por isso é importante sempre estarmos atentos. Além do câncer de mama, cânceres de próstata, de intestino e tumores, na família, podem estar relacionados.

O risco de desenvolver o câncer de mama é o mesmo se o parente com a doença for minha mãe (primeiro grau) ou minha tia (segundo grau)?

Os riscos podem variar um pouco. Pacientes com casos em primeiro grau têm até 1.5 vezes mais chances após os 50 anos do que a população nessa faixa etária. Já entre pessoas mais novas, as chances são três vezes maiores.

Pacientes com casos em segundo grau também têm 1.5 mais chances do que o restante da população.

Homens também podem transmitir o câncer de mama para sua família?

Sim, mas muitas vezes não analisamos todo histórico familiar. Por isso é muito importante olhar para a árvore genealógica. Não só da mãe como do pai.
Há muitos casos que não chegam a ser diagnosticados no homem, e aí vai passando de geração em geração, até a primeira mulher desenvolver a doença.

Acompanhe as redes sociais da Pró-Saúde para mais informações como essa ou sobre outros assuntos de saúde. Assista ao Minuto da Saúde desta semana:

Olá!

Este é o blog Vida Saudável, um espaço focado nas melhores dicas e informações sobre saúde e bem-estar, tudo com a assinatura da gestão Pró-Saúde.

Aproveite!


Últimos posts