Home » Como as maternidades se adaptaram no combate à Covid-19?
Enfermagem

Como as maternidades se adaptaram no combate à Covid-19?

No Dia Internacional da Enfermagem, conheça as boas práticas na assistência às gestantes e recém-nascidos na pandemia

Há mais de um ano como protagonistas no combate à pandemia, os profissionais da Enfermagem ganharam os holofotes do mundo todo. Para enfatizar a importância da classe na preservação à vida, a Organização Mundial da Saúde (OMS), propôs ao Dia Internacional da Enfermagem e do Enfermeiro, o tema “Enfermeiros: Uma Voz para Liderar – Visão para o Futuro da Saúde”.

A data celebrada nesta quarta-feira,12/5, tem o objetivo de homenagear esses profissionais e discutir assuntos relacionados à área. No Brasil, ela é adotada desde 1938 e os eventos costumam se estender até o dia 20, Dia do Auxiliar e Técnico de Enfermagem, criando assim a Semana de Enfermagem.

Na Pró-Saúde, estão sendo realizadas diversas lives na semana para dividir a experiência dos profissionais no combate à pandemia, além da forma como os hospitais se adaptaram a essa nova realidade. Um dos temas abordados foi a mudança nos protocolos de segurança e no atendimento às gestantes e recém-nascidos.

Nesse âmbito, o cuidado deve ser redobrado. “Mulheres com Covid-19 sintomáticas têm risco de mais de 50% de parto prematuro e a maior taxa de partos cesáreos ”, afirma Natália Cunha, enfermeira obstetra do Hospital Materno-Infantil de Barcarena (HMIB).

Para evitar esses procedimentos de risco, é necessário reduzir as infecções hospitalares. Isso é feito com o reforço das práticas de segurança do paciente, com destaque para a higienização das mãos.

Com isso, mudam os “fluxos de atendimentos, triagem de pacientes, proteção para mãe, bebê e profissionais na hora do parto, assistência com tratamentos intensivos”, Joice Vaz, diretora assistencial da unidade. E por mais que as complicações em recém-nascidos sejam raras, é preciso atenção às novas variantes, que já vem aumentando a mortalidade entre as gestantes.

De acordo com o coordenador de Enfermagem do HMIB, Geovanny Magalhães, o cuidado é também com a saúde mental. “É feito todo suporte à saúde com medidas de segurança e tratamento clínico adequados ao cenário pandêmico, incluindo um acolhimento humanizado e suporte emocional”.

Ampliar fonte
Contraste
Voltar para o topo da página - Pró-Saúde