Brasil é o 10º país com o maior número de partos prematuros; Entenda as causas

Parto Prematuro

O Minuto da Saúde desta semana explica os sinais e as causas do problema. Em 2018, 11% dos partos brasileiros foram prematuros

De acordo com o Sinasc (Sistema de Informações Sobre Nascidos Vivos), do Ministério da Saúde, 11% dos bebês nascidos em 2018 foram prematuros. A prematuridade, que ocorre quando o parto é realizado até a 37ª semana de gestação, pode trazer sérios riscos à saúde da criança, mas com os cuidados necessários é possível preveni-lo em muitos casos.

Os partos prematuros constituem a principal causa de óbitos da gestação até as primeiras semanas de vida do recém-nascido. Após esse período, pode gerar complicações à saúde da criança como deficiência intelectual, problemas respiratórios, visuais, perda da audição, entre outros.

A partir de dados da ONU (Organização das Nações Unidas), a ONG americana March of Dimes elaborou um ranking dos países com maior número de partos prematuros. Nele, o Brasil figura na décima posição. Por esses motivos, o Minuto da Saúde desta semana aborda o tema, explicando a prevenção, os sinais e as causas.

Trata-se de um quadro de vídeos curtos, publicados semanalmente nas redes sociais da Pró-Saúde. O conteúdo sempre traz profissionais da instituição para tirar dúvidas e explicar diferentes temas relacionados à saúde. Desta vez, quem participa é Geovanny Magalhães, enfermeiro obstetra do Hospital Materno-Infantil de Barcarena (PA). Confira:

– Quais são as causas dos partos prematuros?

Incompetência istmo-cervical, ou seja, quando um colo do útero que é curto, não sustenta a gestação e se abre antes da hora. Hemorragias, infecções do trato urinário (ITU) e vaginais (vaginoses bacterianas).

– Existem fatores de risco para que isso aconteça?

Diversos. O passado obstétrico da mulher (se ela já teve outros partos prematuros, as chances são maiores), doenças no útero (miomas, malformações, colo do útero curto). Assim como a hipertensão, obesidade e diabetes, entre outras comorbidades para a gestante.

– Como é possível prevenir?

A principal forma é fazer o pré-natal de maneira adequada. Pois com essa bateria de consultas e exames podemos identificar os fatores de riscos e as possíveis causas, além de analisar os problemas de gestações anteriores. Desta forma, o médico pode indicar os medicamentos adequados e realizar cirurgias, caso necessite.

Além disso, é fundamental manter a saúde em dia, adotando hábitos saudáveis para combater as comorbidades e evitando o fumo e o consumo de bebidas alcoólicas.

– Como uma gestante pode identificar um parto prematuro?

Os sinais de um trabalho de parto antes das 37 semanas se configuram por fortes contrações que se tornam cada vez mais frequentes. E podem estar associadas pela dilatação do colo uterino, que irá se abrir junto com elas. É possível acompanhar perda de líquido ou pequenos sangramentos.

– Os partos prematuros são classificados de formas diferentes?

Sim. Usamos três classificações, que estão relacionadas à saúde e ao tempo de nascimento. Encontramos prematuros graves, moderados e o que se aproxima ao termo (tempo ideal de gestação).

Assista ao vídeo abaixo:

Acompanhe as redes sociais da Pró-Saúde para mais informações!

Olá!

Este é o blog Vida Saudável, um espaço focado nas melhores dicas e informações sobre saúde e bem-estar, tudo com a assinatura da gestão Pró-Saúde.

Aproveite!


Últimos posts

Ampliar fonte
Contraste