HPV afeta mais da metade dos jovens brasileiros e pode causar câncer

Vacina HPV

A vacina, disponibilizada pelo SUS, barra até 80% das infecções do vírus. Preservativos são essenciais para a prevenção

De acordo com pesquisa solicitada pelo Ministério da Saúde em 2018, o HPV (papiloma vírus humano) atinge 54,6% das mulheres brasileiras entre 16 e 25 anos e 51,8% dos homens da mesma faixa etária. Existem mais de 100 tipos do vírus, que podem causar reações diversas, sendo as mais graves alguns tipos de câncer.

O estudo teve como foco o público jovem, população mais suscetível à infecção. Dentre eles, 35,2% constatou alto risco para o desenvolvimento de câncer. Vale lembrar que os tipos 16 e 18 do HPV são a causa de 70% dos cânceres do colo do útero, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA).

A vacina, disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS), barra entre 70 a 80% das infecções pelo HPV. A prevenção deve estar aliada ao uso de contraceptivos, como preservativos masculinos e femininos, durante as relações sexuais – principal forma de contágio da doença. O vírus não afeta apenas os órgãos genitais, como também pode surgir na boca, garganta, mãos, pés, entre outras partes do corpo.

A transmissão do HPV se dá por contato direto com a pele ou mucosa infectada, assim, apesar da principal forma de transmissão ser via sexual, o contágio pode ocorrer mesmo na ausência de penetração.

O HPV pode se apresentar de forma leve e a maioria dos casos são assintomáticos. Os principais sinais são o surgimento de verrugas, ardência e coceiras. Essas manifestações surgem de dois a oito meses após a infecção, sendo mais comuns em gestantes e pessoas com baixa imunidade.

No caso de gestantes, a infecção não interfere no desenvolvimento do bebê e a transmissão do vírus durante o parto é rara. O diagnóstico positivo para HPV também não limita a doação de sangue, já que não afeta as correntes sanguíneas.

Para o diagnóstico, é essencial consultar um urologista ou ginecologista, profissionais que podem indicar os exames necessários para avaliação de cada caso.

Veja para quem a vacina contra o HPV é indicada:

– Meninas de 9 a 14 anos
– Meninos de 11 a 14 anos (após os 15 anos, são 3 doses);
– Pessoas que vivem com HIV, na faixa etária de 9 a 26 anos;
– Pessoas transplantadas na faixa etária de 9 a 26 anos (recebem 3 doses da vacina).

A vacina, disponível nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de todo o país, é aplicada em duas doses – com exceção dos casos acima mencionados –, com intervalo de seis meses entre elas.

Olá!

Este é o blog Vida Saudável, um espaço focado nas melhores dicas e informações sobre saúde e bem-estar, tudo com a assinatura da gestão Pró-Saúde.

Aproveite!


Últimos posts

Ampliar fonte
Contraste