Home » UPA Zona Leste alerta para aumento de 60% nos casos de gripe

UPA Zona Leste alerta para aumento de 60% nos casos de gripe

Usar máscaras faciais, manter os ambientes ventilados e a vacinação em dia são algumas das principais formas de prevenção da doença

Levantamento realizado pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24h Zona Leste aponta um aumento de 60% no número de pacientes atendidos com sintomas gripais no último mês. Em abril, 1.168 pessoas buscaram a unidade apresentando sintomas de doenças respiratórias. Já em maio, esse número saltou para 1.878.

O último pico relacionado a sintomas gripais ocorreu em janeiro deste ano, quando a unidade realizou mais de 7,9 mil atendimentos. Na época, o país sofreu com o avanço da variante ômicron do coronavírus e a epidemia de gripe, causada pelo vírus influenza H3N2. Ambos, apesar de menos letais, são altamente transmissíveis.

“Nos meses seguintes, entre fevereiro e abril, vimos uma queda considerável nos casos, registrando cerca de mil atendimentos por mês. Porém, com a queda nas temperaturas, essas doenças voltam a ser motivo de preocupação”, destaca Gisele Abud, diretora Técnica da UPA Zona Leste.

Gripe e doenças respiratórias ficam em alta com a chegada dos meses mais gelados do ano nas regiões sul e sudeste do país. Isso tem ligação com a forma como o sistema  imunológico responde durante esse período. “A inalação do ar frio pode afetar de maneira contrária a resposta imunológica do trato respiratório, o que torna mais fácil a propagação do vírus. Por esse motivo, o uso de máscara continua recomendado”, explica Gisele.

A UPA Zona Leste, em Santos, pertence a rede pública de saúde da Prefeitura de Santos e é gerenciada pela entidade filantrópica Pró-Saúde, sendo referência no atendimento em Clínica Médica, Ortopedia, Pediatria e Odontologia. Durante a pandemia do novo coronavírus, a unidade desenvolveu um papel essencial, atuando como Hospital de Campanha e atendendo casos graves da doença na Baixada Santista.

Estudo realizado pelo Instituto Nacional da Saúde, nos Estados Unidos, revela ainda que não é apenas o ar frio que aumentas as chances de se contrair gripe e outras doenças. Segundo a pesquisa, o ar seco do inverno ajuda os vírus da gripe a permanecerem infecciosos por mais tempo.

“Além do ar frio, os hábitos adotados durante esse período também colaboram para a contaminação. Normalmente, a rotina de exercícios físicos tende a cair durante os intervalos mais frios, assim como o ganho de vitamina D – pela ausência de luz solar –, dois fatores que são essenciais para o fortalecimento do sistema imunológico”, completa a diretora.

As medidas de prevenção contra as gripes comuns são as mesmas utilizadas para evitar o contágio contra a Covid-19. Confira:

  • Usar máscaras faciais;
  • Higienizar as mãos com água e sabão;
  • Usar álcool em gel;
  • Manter os ambientes ventilados;
  • Evitar tocar olhos e boca;
  • Evitar aglomerações e locais fechados;
  • Manter o calendário vacinal atualizado.
Ampliar fonte
Contraste
Voltar para o topo da página - Pró-Saúde