Segurança do paciente é lembrada pelo Hospital Oncológico Infantil em Belém

Segurança do Paciente

A segurança do paciente é um tema da área da saúde que visa proteger pacientes dos riscos comuns ao utilizar determinado serviço assistencial, reduzindo a ocorrência de falhas em diferentes procedimentos no ambiente hospitalar.

Em alusão ao Dia Nacional de Segurança do Paciente, celebrado nesta quinta-feira, 1º de abril, o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, em Belém, realizou ações, alinhadas ao Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP), na última quarta-feira, 31 de março.

As metas internacionais de segurança do paciente é fruto da World Alliance for Patient Safety (Aliança Mundial para a Segurança do Paciente), criada em outubro de 2004 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), com o objetivo de dedicar atenção ao problema da segurança do paciente.

Criado em abril de 2013 pelo Ministério da Saúde, o Plano Nacional de Segurança do Paciente apresenta 7 protocolos básicos que as instituições de saúde precisam adotar em suas rotinas profissionais. São eles: identificação do paciente, comunicação efetiva, cirurgia segura, higienização das mãos, segurança no uso de medicamentos, prevenção de quedas e lesões por pressão.

Diferentes setores do hospital participaram dos jogos itinerantes como, por exemplo, o jogo da memória, do certo ou errado, da identificação das metas de segurança, das técnicas de comunicação assertiva, dentre outros, que reforçam o cuidado quanto aos riscos. Usados como ferramentas educativas, os jogos são considerados pelo hospital como meio de contribuir para a continuidade e o aprofundamento de conhecimentos técnicos dos profissionais. As ações continuam ao longo das duas primeiras semanas do mês de abril.

Aline Gonzaga, coordenadora do Núcleo da Qualidade e Segurança do Paciente (NQSP), não tem dúvida de que a ação lúdica contribui para o avanço de melhorias. “Ao desenvolvermos esse tipo de estratégia educativa, temos a certeza de que estamos reforçando o compromisso com as metas estabelecidas para a segurança do paciente. O nosso compromisso é o de sempre oferecer a prestação de um serviço seguro e de qualidade para a população a qual atendemos”, frisou.

A farmacêutica Mayara Arouck foi um dos profissionais que participou dos jogos educativos e gostou muito da iniciativa. “Considerei bem interessante a dinâmica aplicada aos colaboradores. De forma lúdica, pudemos testar os nossos conhecimentos técnicos, foi salientada a importância da segurança do paciente, algo que é de extremo valor em nossa instituição”, afirmou.

O Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, unidade do Governo do Estado, gerenciado pela entidade filantrópica Pró-Saúde, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (SESPA), conquistou a certificação máxima de qualidade em apenas cinco anos de funcionamento. O hospital é detentor da certificação máxima de qualidade, ONA 3 – Acreditado com Excelência, concedida pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), entidade responsável por avaliar critérios técnicos, procedimentos e gestão de unidades de saúde.

De acordo com o diretor técnico da Pró-Saúde no Oncológico Infantil, José Miguel Alves Junior, a gestão hospitalar é algo indissociável da segurança do paciente.

“Não há como separar a gestão de um serviço de saúde da gestão da segurança no cuidado ao paciente. Nossa estrutura é voltada a melhoraria contínua da assistência aos usuários por meio de um modelo de excelência assistencial implantado pela Pró-Saúde, pautado no olhar para o cuidar seguro, esse cuidar seguro promove otimização dos recursos aplicados nas unidades com a gestão de protocolos e riscos assistenciais”, afirmou o diretor.

Ainda segundo o diretor, “a segurança do paciente envolve o trabalho de análise de indicadores e correção de potenciais erros de caminho no cuidado aos usuários e está também relacionada aos da humanização, favorecendo uma melhor experiência do paciente”, complementou.

Experiências de projetos

Guardiões dos Maninhos – Como um dos protocolos do PNSP, a higienização das mãos é um assunto recorrente na cultura hospitalar, o que levou a instituição a reforçar os cuidados nesse aspecto. Com o objetivo de redobrar a prática de higienização, o Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) implantou, em junho de 2020, o Time Guardiões dos Maninhos, iniciativa que empodera a equipe para os cuidados rigorosos com a limpeza das mãos e, principalmente, alavanca a prática e o fortalecimento dos cuidados desempenhados pela equipe, proporcionando um atendimento seguro, diminuindo riscos.

Heróis da Segurança – Em janeiro de 2019, o Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente (NQSP) do Hospital criou o projeto para estimular a participação do usuário e seus familiares na assistência prestada por meio da realização de ações de segurança. Antes da pandemia da Covid-19, crianças e adolescentes em tratamento contra o câncer frequentaram a Classe Hospitalar e tiveram a oportunidade de aprender sobre a importância do primeiro protocolo de segurança do paciente: a identificação, com o uso da pulseira.

Ampliar fonte
Contraste