Referência em traumas ortopédicos no Pará, Hospital Galileu comemora 7 anos de assistência com reconhecimento nacional

HPEG

Referência em traumas ortopédicos no Pará, o Hospital Público Estadual Galileu (HPEG) celebra 7 anos nesta quarta-feira, 14. A unidade desenvolve projetos assistenciais e de humanização voltados ao bem-estar de pacientes, além de interagir com a comunidade onde está inserido e meio ambiente.

Inaugurado pelo Governo do Pará em 2014, o HPEG está localizado em Belém, sendo gerenciado pela entidade filantrópica Pró-Saúde. Com mais de 788 mil atendimentos entre consultas ambulatoriais, cirurgias, internações e exames, a unidade funciona como hospital de retaguarda, atuando em casos de média e alta complexidades.

Entre as ações desenvolvidas no hospital, a Gameterapia está entre os principais projetos do Galileu. Implantado em 2017, a iniciativa permite que o paciente ortopédico pratique atividades fisioterapêuticas dentro das enfermarias utilizando um videogame.

“O aparelho simula exercícios de reabilitação importantes para a recuperação do paciente ortopédico”, explica Laura Alkysa, fisioterapeuta. As ações seguem diretrizes de boas práticas assistenciais e de segurança, com protocolos desenvolvidos individualmente para cada paciente.

Por meio do projeto, mais de 2 mil pacientes passaram pelo tratamento da Gameterapia. Entre eles o Bruno Pereira, que relembra a importância do tratamento na época que ficou internado na unidade. “Esses exercícios me fizeram muito bem. Antes não conseguia pisar com o pé firme no chão, hoje já consigo”, disse.

Outras iniciativas, como a “Musicoterapia” e o “Cine Galileu” proporcionam um ambiente hospitalar mais humanizado, contribuindo para a diminuição de estresse no ambiente hospitalar. “A musicoterapia foi implantada em 2017 e proporciona apresentações musicais aos nossos pacientes com músicos voluntários. Já a proposta do Cine Galileu é transformar as enfermarias em salas de cinema”, explica Lidiana Sousa, Supervisora de Humanização.

Envolvimento com a comunidade

Além dos projetos assistenciais e de humanização, o HPEG conta com iniciativas sociais que envolvem a comunidade onde o hospital está inserido. Com nove edições do curso de Cuidador de Idosos, mais de 200 pessoas já foram capacitadas e puderam ser inseridas no mercado de trabalho com uma nova formação.

A iniciativa permite, de forma gratuita, o treinamento sobre os principais cuidados com a pessoa idosa, sendo ministrado por profissionais do HPEG como enfermeiros, fonoaudiólogos e nutricionistas. Com duração de uma semana, as vagas são rapidamente preenchidas sempre que as inscrições são disponibilizadas. Atualmente, devido a necessidade do distanciamento social, novas inscrições ainda não foram abertas.

Reconhecimento nacional

O HPEG conta com a certificação ONA 3, reconhecimento máximo da qualidade assistencial nos serviços de saúde do País. O certificado é concedido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), por meio de auditoria externa dos protocolos assistenciais e de gestão da unidade.

Obtida pela primeira vez em 2019, o hospital manteve a certificação em nova auditoria realizada no ano passado. O título é reconhecido nacionalmente e coloca o HPEG entre os melhores hospitais do Brasil.

De acordo com Thiago Zaché, diretor Hospitalar, “o modelo de gestão do HPEG, com o suporte da Pró-Saúde, favorece a manutenção contínua dos protocolos assistenciais, envolvendo melhorias na assistência e segurança do paciente”.

Mudança assistencial

Com o agravamento da pandemia, em 2020 o HPEG alterou o seu perfil assistencial. Entre os meses de abril a junho, a unidade prestou atendimento exclusivo aos pacientes com a Covid-19.

“Por orientação do Governo do Estado, o Galileu se readequou estruturalmente para combater o novo coronavírus e contribuir na luta para salvar vidas da doença. Contratamos profissionais, realizamos a adaptação dos leitos e promovemos o treinamento da equipe”, explica o diretor Hospitalar.

Ao todo, foram disponibilizados 94 leitos clínicos e dez de UTI (Unida de Terapia Intensiva). Em dois meses de atendimento exclusivo aos casos da Covid-19, mais de 140 pacientes tiveram a sua saúde restabelecida.

Neste ano, devido a alta demanda exigida pela pandemia da Covid-19, o HPEG voltou a atender de forma exclusiva os pacientes com a doença desde o dia 16 de março. Até esta quarta-feira, 14, foram recuperados 143 pacientes.

Paciente recebe alta após 5 anos internada

Lidiane Leocadio é uma das pacientes que marcaram o trabalho assistencial do HPEG. Após sofrer um ferimento por arma de fogo, a moradora de Belém ficou tetraplégica. Ela foi internada no Galileu em 2015, permanecendo na unidade até o dia 11 de março de 2020.

“Ela esteve conosco durante 5 anos e 2 meses. Foram anos de reabilitação com toda a equipe médica e multiprofissional. A Lidiane foi um exemplo de como a dedicação de profissionais pode mudar a vida de um paciente”, explica Wanessa Silva, coordenadora de enfermagem do HPEG.

Ampliar fonte
Contraste