Home » Pró-Saúde realiza último módulo do Curso de Segurança do Paciente

Pró-Saúde realiza último módulo do Curso de Segurança do Paciente

O Programa de Qualidade e Segurança do Paciente (PQSP) e a Diretoria de Operações da Pró-Saúde realizaram, no último dia 20 de agosto, na sede Administrativa, em São Paulo (SP), o último módulo do Curso de Segurança do Paciente. Participaram da capacitação diretores operacionais, diretores gerais, gestores do Núcleo da Qualidade e Segurança do Paciente (NQSP) e diretores técnicos dos Hospitais Polos.

A abertura do evento – que aconteceu no auditório da sede administrativa da entidade – foi realizada pelo médico do Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente (IBSP), José Ribamar Branco. Na sequência, o diretor científico do IBSP Lucas Zambon deu início aos trabalhos com o tema “Retomada da Análise de Causa Raiz”. Ainda no período da manhã, o médico do IBSP Dario Ferreira fez um talk show, abordando o “Papel do Gestor como Promotor da Segurança do Paciente na Área da Saúde”.

No período da tarde, as aulas foram conduzidas pela Enfermeira do IBSP Karina Pecora, com o “Dia a Dia do Núcleo de Segurança do Paciente” e novamente com Lucas Zambon, que abordou a teoria e a prática da Classificação Internacional de Segurança do Paciente (OMS) e o Uso de Ferramentas na Gestão de Dados (Pareto e Matriz de Probabilidade x Risco).

Os diretores presentes ao treinamento aprovaram a ação e citaram a iniciativa da Pró-Saúde na realização do evento. “Hoje em dia, isso é um conceito que vem se modernizando. Esse tipo de alinhamento de conceitos e processos que podem ser desenvolvidos para melhorar a segurança do paciente é de fundamental importância para que a gente possa estabelecer uma uniformidade de critérios em nossas unidades. E isso auxilia em todos os aspectos. Desconheço outra organização social que trabalhe com esse nível de envolvimento dos seus profissionais quando falamos sobre segurança dos pacientes”, comentou o diretor de qualidade do Hospital Getúlio Vargas, Fernando Paragó.

Já para Flávio Pereira, do Núcleo de Qualidade da Bahia, esses treinamentos são muito importantes, principalmente pela oportunidade de vivenciar as experiências de todas as unidades que a Pró-Saúde abrange. “São muitas unidades espalhadas pelo país e, no sentido de amadurecimento, algumas estão mais avançadas do que as outras. E esses eventos fazem com que você consiga trocar experiências de forma produtiva com todos”.

O diretor científico do IBSP Lucas Zambon disse que essa virada de cultura na gestão assistencial é uma necessidade, para que se possa mudar a realidade da assistência atual, para um patamar superior, que atenda melhor a necessidade dos pacientes. “Diferentemente de uma indústria, que tem uma linha de produção mais previsível, em unidades hospitalares esse processo é muito mais complexo e o desafio é maior ainda se a gente não tiver instrumentalizado, com indicadores, padrões e parâmetros”, comentou Zambon. 

Ampliar fonte
Contraste
Voltar para o topo da página - Pró-Saúde