Pró-Saúde promove lives sobre atuação da Enfermagem no enfrentamento à Covid-19

Na semana em que é celebrado o Dia Internacional da Enfermagem, entidade filantrópica compartilhará experiências dos hospitais que gerencia sobre os seguintes temas: hemodiálise, binômio mãe-bebê, assistência respiratória, controle de infecções e saúde mental

A Pró-Saúde está organizando uma série de lives para a Semana da Enfermagem, com eventos online previstos para os dias 10, 11, 12, 17 e 19 de maio, que acontecerão em unidades de saúde administradas pela entidade filantrópica em todo o país.

Com o tema “Histórias de Luta e Superação – a vivência da Enfermagem na pandemia da Covid-19 e seu legado assistencial de Norte a Sul do Brasil”, profissionais que atuam pela Pró-Saúde, em vários hospitais brasileiros, vão compartilhar por meio de lives, as estratégias criadas para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. Os eventos marcam o Dia Internacional da Enfermagem e do Enfermeiro, celebrado anualmente em 12 de maio.

O que torna as lives interessantes é que os temas propostos consideram a vivência de casos bem específicos de pacientes — a Covid-19 na hemodiálise, no atendimento à gestante e recém-nascido, na assistência respiratória e no controle de infecções.

As lives também vão abordar o tema saúde mental, principalmente relativo às ações internas voltadas para os profissionais de saúde, que tiveram que absorver todo o estresse causado em quem trabalha no ambiente hospitalar.

Indicadas para profissionais da saúde e também estudantes de cursos técnicos e universitários, as transmissões serão abertas ao público e poderão ser acompanhadas de qualquer dispositivo conectado à internet. Todas as informações de acesso estão disponíveis na página do evento no Facebook, acesse aqui.

“Diante da pandemia, uma atitude responsável que podemos prover é compartilhar conhecimento”, afirmou Sandra Miziara, gerente corporativa Assistencial da Pró-Saúde.

“Precisamos mostrar para os colegas como estamos conseguindo mitigar os riscos causados pela Covid-19 aos pacientes e aos profissionais de Enfermagem. Esta é uma vontade de todas as lideranças que atuam nos hospitais que gerenciamos”, acrescentou.

A pandemia modificou totalmente a rotina interna das unidades de saúde. “Com o aumento da demanda, a contratação e a rotatividade de profissionais dispararam dentro dos hospitais”, observou Sandra.

Ela disse ainda que, justamente pela alta rotatividade, foi preciso manter treinamentos permanentes de educação em saúde, para conseguir capacitar os profissionais iniciantes. “Principalmente, os que atendem casos de Covid-19, que é a maior demanda nas unidades atualmente”.

Basicamente, Sandra explicou que as lives seguirão um roteiro objetivo, abordando os pontos críticos de cada tema abordado — “o que tínhamos de assistência e o que precisou ser desenvolvido ou incorporado para manter o atendimento”.

Os profissionais vão apresentar cases, estratégias de cuidados e contextualizar como era a rotina antes da pandemia e o que precisou mudar para a nova realidade.

“São profissionais que trabalham há muito tempo na área, com especialização, ou seja, têm conhecimento prático e técnico, pois estão na linha de frente, operacionalizando a rotina de atendimento”, explicou Sandra.

“Após mais de um ano de esforço diário para adaptação de rotinas em situações nunca antes vivenciadas, é fundamental valorizar e reconhecer o trabalho magnífico de nossa Enfermagem”, acrescentou o diretor corporativo Médico da Pró-Saúde, Fernando Paragó.

 

Experiências de Norte a Sul  

Próxima de completar 54 anos de atuação, a Pró-Saúde é responsável hoje por gerenciar mais de 20 hospitais, entre públicos e privados, localizados em 11 estados brasileiros.

Na pandemia, a entidade filantrópica está tendo atuação importante uma vez que boa parte das unidades de saúde que estão sob sua responsabilidade atende pacientes com Covid-19, incluindo um hospital de campanha em Belém (PA).

Desde o início da pandemia, a Pró-Saúde chegou a ser responsável por aproximadamente 600 leitos de enfermaria e UTI, exclusivos para pacientes com Covid-19.

Até o momento, os hospitais gerenciados pela entidade filantrópica já realizaram aproximadamente 11 mil internações de pacientes com o novo coronavírus, sendo 7,7 mil altas clínicas.

No geral, o volume de atendimento mensal realizado pela Pró-Saúde alcança um milhão de pacientes. Em recente pesquisa realizada pelo Datafolha, um dos mais respeitados institutos do Brasil, nove em cada dez pacientes aprovaram os serviços realizados pela Pró-Saúde nos hospitais que gerencia.

São unidades de saúde que compreendem todos os níveis de complexidade (baixa, média e alta) e estão localizadas em áreas que vão desde grandes centros metropolitanos a lugares remotos da floresta amazônica.

Ampliar fonte
Contraste