Home » Pesquisa inédita do Hospital Galileu apresenta os resultados sobre a experiência do paciente na unidade
Assistência

Pesquisa inédita do Hospital Galileu apresenta os resultados sobre a experiência do paciente na unidade

Em um período de seis meses, mais de mil pacientes participaram da pesquisa. O resultado apresenta índice de 93,8% de aprovação do atendimento, confirmando que os pacientes reconhecem que tiveram uma boa experiência durante a assistência recebida na unidade

O Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), localizado em Belém, apresentou os resultados de sua primeira pesquisa de experiência do paciente. Realizado de forma experimental, o projeto teve início em outubro de 2020, promovendo uma pesquisa durante seis meses com mais mil pacientes.

Após conclusão das entrevistas, a tabulação das respostas foi realizada pelo Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente (NQSP) da unidade, resultando em um índice de aprovação de 93,8% do atendimento. Ao contrário de uma pesquisa comum sobre a satisfação dos serviços prestados pela unidade, o projeto busca identificar se durante o tratamento e permanência do paciente no hospital houve uma boa experiência, desde a sua entrada até a saída da unidade.

No caso, a experiência do paciente é parte integrante dos cuidados de saúde. A pesquisa irá promover aspectos da prestação de cuidados que os pacientes valorizam durante a sua internação e que permeiam o tratamento individualizado, como empatia, atenção e acolhimento, escuta atenta e diferenciada e respeito às particularidades e diferenças de cada paciente.

Para Lucas Geralde, médico e diretor técnico do HPEG, “entender como o paciente avalia a experiência de ser cuidado pela equipe do hospital é fundamental. Assim, planejamos ações de melhorias sob a visão do paciente, que é quem de fato está recebendo os serviços prestados”, explica.

“É uma ferramenta de gestão moderna e que agrega na produção de soluções baseadas nos cuidados centrados no paciente”, acrescenta o médico.

Após análises e validação, o projeto foi colocado em prática entre outubro de 2020 até março de 2021, período em que a pesquisa foi realizada. O público-alvo girou em torno de pessoas que foram internadas nas enfermarias do Hospital Galileu.

“O alvo do nosso trabalho é o fortalecimento contínuo de nossa equipe. Ou seja, a importância de percebermos as necessidade e expectativas do nosso paciente. A partir disso, atuamos com medidas que iniciam ainda na portaria do hospital até o momento de alta”, explica Paula Amaral, gerente do Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente (NQSP).

Ainda de acordo com a profissional, “a pesquisa de experiência do paciente é um trabalho contínuo, que irá analisar toda a trajetória deste paciente. O objetivo principal é justamente perceber o que irá agregar valor para ele a partir de seu próprio ponto de vista”, acrescenta.

Como a pesquisa funciona?

A partir de um cronograma semanal, a abordagem de pacientes é feita ainda na enfermaria. A técnica de enfermagem Lídia Martins ficou responsável em fazer o questionário entre os pacientes. “No momento da pesquisa, procurei deixar o paciente bem à vontade para que as informações coletadas fossem as mais fidedignas possível”, ressalta.

O questionário é composto por tópicos relacionados ao atendimento desse paciente. Estão inclusas perguntas com o cuidado recebido pela equipe de enfermagem e médicos foi efetivo, frequência que a manifestação de dor foi atendida, além de esclarecimentos de dúvidas sobre o tratamento.

Com todas as respostas coletadas, os dados são mensurados por meio de uma plataforma de gestão interna. Assim, chegando no resultado final de 93,8%.

“A experiência do paciente é o grande balizador das ações de gestão do hospital. Ela reúne os fatores que influenciam a percepção dos pacientes com relação aos cuidados que recebem ao longo de sua jornada em nossa unidade de saúde. Por meio do Escritório da Experiência do Paciente, diariamente, apuramos estas expectativas sobre nossos processos, protocolos, profissionais e estrutura. Com grande satisfação percebemos o grau de maturidade que os colaboradores e a gestão do HPEG possuem para evidenciar índices elevadíssimos de satisfação”, afirma Thiago Zaché, diretor hospitalar do HPEG.

Gestão hospitalar e humanização

O HPEG é uma unidade do Governo do Pará, sendo gerenciada pela instituição filantrópica Pró-Saúde. A unidade atua como hospital de retaguarda e referência em traumas ortopédicos no estado. Entre as suas diretrizes de gestão, com base em estratégias assistenciais desenvolvidas pela entidade, o hospital tem como princípio a prática humanizada no atendimento prestado ao usuário.

Entre os projetos que fortalecem a humanização durante a assistência, está o Cine Galileu. Implantado em 2017, a iniciativa leva sessões de cinema para enfermarias e UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do hospital.
Além dele, o projeto de musicoterapia também humaniza o atendimento com apresentações musicais aos pacientes com auxílio e participação de voluntários.

Excelência ONA 3

A qualidade assistencial, aliada à práticas seguras de saúde dentro da instituição, contribuíram para a conquista da certificação ONA 3 – Acreditado com Excelência, concedida pela Organização Nacional e Acreditação (ONA). Com a certificação, a unidade se mantém entre os melhores hospitais do Brasil reconhecidos por atingirem padrões internacionais de qualidade e segurança assistencial dedicados aos pacientes.

Ampliar fonte
Contraste
Voltar para o topo da página - Pró-Saúde