Para ministro da Saúde, estratégia de atendimento do HRBA é exemplo para o Brasil

Em visita ao Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), o ministro da Saúde Eduardo Pazuello elogiou o trabalho desenvolvido pelo Governo do Pará na unidade e afirmou que estratégia do atendimento no Regional é uma proposta que pode servir de exemplo para o Brasil. “Achei a estrutura [da UTI Adulto] campeã. A ideia de separar os leitos com vidro e a instalação de exaustores [para troca de ar], é uma solução que vou divulgar para todo o País”, destacou o ministro.

Pazuello foi acompanhado pelo governador do Estado do Pará, Helder Barbalho. Ambos estavam cumprindo agenda na região de Santarém.

Na ocasião, as autoridades foram recebidas pelos diretores do HRBA e conheceram as instalações da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Adulto, destinada ao atendimento de pacientes em tratamento da Covid-19 e as medidas adotadas pelas equipes em prol da assistência à população.

A UTI Adulto do HRBA teve a estrutura adaptada para atendimentos da Covid-19, ainda em março de 2020, quando a unidade pertencente ao Governo do Estado Pará e gerenciada pela Pró-Saúde, foi escolhida como hospital de referência para o tratamento da doença.

Como alternativa, para não deixar de atender pacientes de outras especialidades, o Regional do Baixo Amazonas otimizou o espaço e instalou uma divisória de vidro, fazendo a implementação de isolamento em cortes — que consiste em separar em uma mesma área, com distância mínima de 1 metro entre os leitos, os pacientes com infecção pelo novo coronavírus.

“Com a adaptação estrutural conseguimos dividir a UTI Adulto em dois espaços, onde conseguimos atender o paciente com Covid-19 e tratar, mesmo de maneira reduzida, pacientes de outras especialidades para qual a unidade também é referência, como oncologia, cardiologia, ortopedia, entre outras”, explicou Hebert Moreschi, diretor Hospitalar.

Atualmente, o HRBA possui 61 leitos de UTI e 35 leitos clínicos destinados ao tratamento de pacientes com o novo coronavírus.

Referência no Oeste do Pará

O Regional do Baixo Amazonas, gerenciado pela Pró-Saúde, tem sido fundamental na estratégia do Governo do Pará no enfrentamento à pandemia no Oeste do Pará, sendo referência para 30 municípios e 1,3 milhão pessoas.

“Hoje demos mais um passo importante na oferta de leitos para tratamento de Covid-19, que vai colaborar com o atendimento e estruturas já montadas para atender a região do Tapajós, do Baixo Amazonas e Calha Norte”, reforçou o governador Helder Barbalho durante a entrega do Hospital de Campanha de Santarém, que dará apoio ao HRBA nos atendimentos dos casos do novo coronavírus.

Neste ano, de janeiro até essa quinta-feira (18/02), o HRBA recebeu 249 transferências de pacientes com Covid-19. Deste total, 50 são de outros municípios, sendo a maioria de Santarém. Outros municípios que mais transferem para a unidade são: Monte Alegre, Oriximiná, Curuá, Alenquer, Prainha e Placas.

Até o momento, o Regional do Baixo Amazonas recuperou 340 pacientes e mais de 500 colaboradores que testaram positivo para doença. “A união de esforços dos governos federal, estadual e municipal fortalecerá o conjunto de ações para a continuidade do enfrentamento da Covid-19 em nossa região”, afirmou Moreschi.

Entre os melhores do Brasil

Após um ano desafiador e de enfrentamento à pandemia da Covid-19, o Hospital Regional do Baixo Amazonas conquistou neste mês de fevereiro a renovação da certificação nacional de excelência em seus atendimentos.

Com atendimento 100% SUS (Sistema Único de Saúde), a unidade faz parte de um seleto grupo no Brasil – há seis anos consecutivos – que detém o certificado ONA 3 Acreditado com Excelência.

Concedido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), o título é conferido ao hospital após avaliação de minuciosos processos internos. Além de requisitos assistenciais e de segurança, a organização também avalia a atuação da gestão hospitalar na saúde dos pacientes. A avaliação no HRBA foi realizada nos dias 25, 26 e 27 de janeiro, pelo Instituto Brasileiro para Excelência em Saúde (IBES), associada à ONA

Ampliar fonte
Contraste