Oncológico Infantil reforça a importância da higienização das mãos

Lavagem das Mãos

Para reforçar a lavagem das mãos, o hospital implantou o time Guardiões dos Maninhos, redobrando os cuidados

Um ato que preserva a vida humana e poupa as pessoas de muitos problemas relacionados à saúde. Lavar as mãos tornou-se algo tão importante que ganhou status de Dia Internacional, comemorado nesta quinta-feira, 15.

Como prática incorporada às rotinas de todos os profissionais de saúde, o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, Unidade do Governo do Estado, sob a gestão da Pró-Saúde, apresenta diferentes práticas de preservação da saúde para a sensibilização de sua equipe técnica, pacientes, acompanhantes e colaboradores.

A importância do assunto na cultura hospitalar levou a instituição a reforçar os cuidados nesse aspecto, mesmo existindo diversas campanhas de mobilizações desenvolvidas ao longo do ano.

Com o objetivo de redobrar a prática de higienização, o Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) implantou, em junho deste ano, o Time Guardiões dos Maninhos.

A iniciativa visa empoderar a equipe para os cuidados rigorosos com a limpeza das mãos e, principalmente, alavancar a prática e o fortalecimento dos cuidados desempenhados pela equipe, proporcionando um atendimento seguro e diminuindo riscos.

Para isso, foram escolhidos colaboradores que atuam como ponto focal em cada setor do hospital. Esses profissionais recebem um crachá que os identifica e permite que sejam reconhecidos como guardiões por toda a equipe.

O trabalho de guardião é, acima de tudo, orientar e ajudar na consolidação da higienização das mãos, além de enfatizar todas as etapas envolvendo a segurança do paciente.

Juramento de lavagem das mãos

Cada vez que é escolhido um guardião, este, em evento interno, faz um juramento comprometendo-se com o trabalho educativo permanente e em ser ponto de apoio para os demais profissionais.

Poliane Rodrigues, enfermeira integrante do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar, comenta sobre os cuidados com a limpeza desse membro superior do corpo humano.

“A higienização das mãos é uma medida simples e eficaz no combate às infecções e surte um efeito positivo, principalmente no tratamento do paciente. E, diga-se de passagem, faz parte do protocolo de segurança do paciente”, observa.

A enfermeira reforça ainda que “as ações relacionadas à higienização das mãos têm apresentado uma repercussão positiva dentro do hospital e que é esse o cuidado que todo profissional de saúde deve ter ao tratar das pessoas.

Ela finaliza lembrando que “essa prática sempre foi tida como uma rotina, mas hoje, com a pandemia da Covid-19, ela está mais intensificada, não somente entre os profissionais de saúde, mas toda a população em geral consegue enxergar sua importância”.

Curiosidade

Você sabia que por volta de década de 1.800 os médicos não tinham o costume nem se preocupavam em lavar as mãos? Curiosidades como estas foram exploradas pelo jornal britânico The Guardian, que publicou, em março deste ano, uma grande reportagem abordando sobre os 130 anos de lavagem das mãos.

No conteúdo jornalístico, são apresentados, por exemplo, os rituais religiosos de lavagem das mãos que existem há milhares de anos nas culturas islâmica, judaica e outras, mas a noção de doenças que se espalham pelas mãos faz parte do sistema de crenças médicas há apenas cerca de 130 anos. O periódico inglês informa que “a primeira descoberta registrada do poder de salvar vidas da lavagem das mãos ocorreu em 1.848, como um choque enorme e indesejado”.

Experiência em gestão

O Oncológico Infantil é gerenciado pela Pró-Saúde, entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos.

Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Seu trabalho de inteligência visa à promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade.

Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 24 cidades de 12 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.