Oncológico infantil inicia campanha de orientação sobre coronavírus

Ações educativas visam levar informações sobre prevenção para colaboradores, pacientes e acompanhantes; profissionais da unidade iniciaram campanha nas redes sociais para estimular o isolamento social

O Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, gerenciado pela Pró-Saúde em Belém, inicia neste sábado (21), uma séria de ações para disseminar orientações de prevenção sobre o novo coronavírus (Covid-19). A iniciativa visa a segurança de pacientes, colaboradores, familiares e voluntários da unidade.

“O foco das ações que vamos realizar ao longo dos próximos dias é evitar o contágio e a disseminação da Covid-19 entre os nossos pequenos pacientes em tratamento contra o câncer. São crianças imunodeprimidas e por isso, com maior risco de complicações. Neste momento a informação é a maior arma contra essa doença e, se todos tomarem as medidas de prevenção, conseguiremos proteger nossas crianças”, ressalta Alba Muniz, diretora Hospitalar do Oncológico Infantil.

Atualmente, cerca de 900 crianças e adolescentes de municípios do Pará e de estados vizinhos, como o Amapá, estão em tratamento no Hospital, que pertence ao governo do Estado do Pará e presta atendimento 100% gratuito, e é referência em oncologia pediátrica no norte do país.

Um time de profissionais de diversas áreas do Oncológico Infantil atuarão em conjunto com o Núcleo de Educação Permanente, em ações internas e externas, onde serão transmitidas, de forma simples e didática, orientações sobre o vírus, grupos de risco da doença, período de incubação, formas de transmissão, tratamento disponível e métodos de prevenção. Com os colaboradores da parte assistencial, as ações vão abordar ainda o fluxo de entrada e atendimento dos casos suspeitos e cuidados com a utilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

O coronavírus é uma família de vírus que causa infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus, conhecido oficialmente como COVID-19, foi descoberto em 31/12/2019 após casos registrados na China. Os principais sintomas são febre, tosse e dificuldade para respirar. Para evitar a transmissão da doença, algumas atitudes simples podem ajudar como: Manter distanciamento social; Evitar passar as mãos no rosto, principalmente nos olhos, boca e nariz; Lavar muito bem as mãos com água e sabão sempre que possível e especialmente antes das refeições; Não compartilhar objetos de uso pessoal e manter os ambientes abertos e ventilados.

A expectativa da unidade é impactar cerca de 700 pessoas, entre colaboradores, prestadores de serviços, pacientes e acompanhantes. Com o público externo, as orientações chegarão até os membros das Casas de Apoio e Organizações Não Governamentais (ONGs), que atendem familiares de pacientes da unidade.

“As orientações serão realizadas por duplas de profissionais que, além das explicações, irão simular as práticas de cuidado como higienização das mãos e utilização adequada dos EPIs. Vamos usar uma linguagem simples e muito didática, para que todos consigam absorver as informações e nos ajudar a prevenir a doença”, explica Viviane Lesses, Gerente de Qualidade. Para complementar, a unidade utilizará o sistema de fonia interno para propagar recados sobre o tema, reforçando as orientações ao longo do dia.

Em 2019, o Hospital se tornou o primeiro na rede pública do país, com atendimento em oncologia pediátrica, a conquistar a certificação ONA 3 – Acreditado com Excelência. Esse é o maior nível de reconhecimento concedido pela Organização Nacional de Acreditação, entidade respeitada e com atuação nacional responsável pela avaliação dos serviços de saúde do País, destacando os melhores resultados de gestão, qualidade e segurança voltados ao paciente.

Incentivo ao isolamento social

Em campanha iniciada nesta semana nas redes sociais, colaboradores do Oncológico Infantil iniciaram uma corrente para conscientizar a população sobre a necessidade de permanecer em casa neste momento.

Diversas atitudes estão sendo tomadas pelas diferentes esferas do governo em todo o país, a fim de diminuir a circulação e aglomeração de pessoas. Elas visam diminuir a disseminação da doença e conter o avanço no número de casos. Porém, para que a estratégia funcione, a colaboração da população é essencial, seguindo as orientações do governo e dos órgãos de saúde.

“Nós, profissionais da saúde, estamos sempre a postos para atender aos pacientes nos hospitais. Neste momento difícil que o mundo todo está passando, seguiremos nos seus postos prestando o melhor atendimento possível. Os cidadãos podem contar conosco, e esperamos poder contar com eles! O que estamos pedindo é simples, que a população faça a sua parte e permaneça em casa, isso vai ajudar muito a todos”, explica Viviane.