O que é Vasectomia? Saiba mais sobre esse método de esterilização masculina

urologista

Especialista do Hospital 5 de Outubro explica como é realizado o procedimento. Homens casados precisam do consentimento da companheira

A vasectomia é um tipo de esterilização conhecida por grande parte da população, mas ainda existem muitas dúvidas sobre esse tipo de cirurgia. Por exemplo, além de questões envolvendo a reversão do procedimento, certos medos sobre o desempenho sexual atingem muitos homens.

De acordo com o urologista Marcus Oliveira, com atuação pela Pró-Saúde no Hospital 5 de Outubro (HCO), em Canaã dos Carajás, a vasectomia é um procedimento cirúrgico simples, eficiente e seguro, realizada com aplicação de anestesia local.

“A cirurgia interrompe a passagem dos espermatozoides, com o corte sendo feito em dois pequenos tubos que saem de cada um dos testículos e por onde passam os espermatozoides que saem na ejaculação”, explica.

Os dados do Sistema Único de Saúde (SUS), mostram que o número de vasectomias no Brasil cresceu mais de 40,5%, partindo de 26.311 procedimentos realizados em 2009, para 36.964 quase dez anos depois, em 2018.

Em 2016, em pesquisa sobre o crescimento da vasectomia no SUS, publicada pela Revista Eletrônica Acervo Saúde, os pacientes que optaram pela esterilização cirúrgica relataram diversos aspectos positivos na escolha.

Além da menção sobre a melhora no relacionamento sexual com a companheira, especialmente pela superação do medo de uma gravidez não planejada, também citam menor preocupação com o uso de métodos anticoncepcionais hormonais que potencialmente podiam trazer riscos à saúde feminina.

As principais dúvidas dos homens

O urologista explica que a vasectomia não afeta o desempenho sexual do homem, devido o procedimento interromper somente a passagem dos espermatozoides.
“E o líquido seminal produzido pela próstata continua sendo ejaculado”, afirmou.

No entanto, de acordo com a Lei 9.263, de janeiro de 1996, que dispõe sobre as normas de planejamento familiar no Brasil, procedimentos de esterilização voluntária como a vasectomia e a laqueadura de trompas só podem ser realizados obedecendo os seguintes quesitos:

– Em homens ou mulheres maiores de 25 anos ou com no mínimo dois filhos vivos;

– Para pacientes casados, a cirurgia depende do consentimento expresso do cônjuge, assinado em documento registrado em cartório, que ficará arquivado no prontuário do paciente;

– O paciente deve expressar a sua vontade pela cirurgia em um documento oficial, depois de ser informado dos riscos e efeitos colaterais da operação, além de outros métodos contraceptivos.

Durante o atendimento de consulta, o urologista responsável pela avaliação da vasectomia, aconselha e fornecer todas as informações necessárias em cada caso. “Por isso, a opção pela cirurgia precisa ser muito clara para o paciente e para sua companheira”, alertou o especialista.

O profissional complementa explicando que “a vasectomia é um procedimento tecnicamente reversível, mas o sucesso da cirurgia de reconexão entre os canais varia para cada paciente e do tempo que o procedimento foi realizado”.

Existem riscos na vasectomia?

Em alguns casos, pode causar dor na bolsa escrotal, pequenos hematomas ou mesmo infecção na incisão. Porém, a vasectomia é considerada um procedimento de pequeno porte e tem baixíssimas taxas de complicações, a maioria das complicações são controladas com o repouso, anti-inflamatórios e antibióticos.

O Hospital 5 de Outubro, que é gerenciado pela Pró-Saúde, dispõe do serviço de urologia na unidade e realiza o procedimento em centro cirúrgico, garantindo maior segurança.

Além disso, em fevereiro de 2019, a unidade foi certificada pelo Programa Nacional da Qualidade (PNQ), concedido pelo Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), que reconhece a qualidade e segurança da assistência.