“O desafio é desenvolver um olhar atento com os cuidados aos nossos pequeninos”, diz especialista sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer infantil

Atendimento

O alerta da profissional do Hospital Oncológico Infantil acontece no Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil, celebrado nesta terça-feira (23)

O ‘Novembro Dourado’ é o movimento que chama a atenção para o câncer infantojuvenil e alerta para a importância do diagnóstico precoce. O câncer infantil corresponde a um grupo de várias doenças que têm em comum a proliferação descontrolada de células anormais e que pode ocorrer em qualquer local do organismo.

No Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil, lembrado nesta terça-feira (23), O Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, gerenciado pela Pró-Saúde em Belém, reforça a importância quanto aos cuidados com a saúde das crianças e adolescentes.

Dados do Globocan 2020, banco de dados da Agência Internacional para Pesquisa em Câncer (Iarc), da Organização Mundial da Saúde (OMS), revelam que todos os anos cerca de 280 mil crianças e adolescentes, entre zero e 19 anos, são diagnosticadas com câncer em todo o mundo.

Sweny Marinho, médica especialista do Oncológico Infantil, chama a atenção para a necessidade de atenção nos cuidados com a saúde das crianças. “Os pais e demais cuidadores têm se afastado do exemplo de cuidar. Cuidar leva tempo e exige dedicação. Muitas vezes, esse cuidado é terceirizado e, se quem for cuidar não tiver um olhar treinado para identificar os mínimos sintomas de que algo está errado, talvez não tenha êxito”, afirma a médica.

“Acredito que o desafio atual é trabalharmos o caminho inverso. Desenvolver um olhar atento com os cuidados aos nossos pequeninos e adolescentes”, alerta a profissional.

O câncer infantil mais comum em todo o mundo é a leucemia, seguida dos linfomas e câncer de sistema nervoso central. De acordo com a faixa etária, à medida em que as crianças crescem, aumentam as taxas de tumores ósseos e linfomas.

Pela vivência profissional na área da oncologia infantil, Sweny pontua que a incidência de casos no Estado do Pará segue o perfil do cenário nacional, mas destaca que, “com a existência de um hospital de referência em oncologia pediátrica, nossas crianças têm um local específico para receber o atendimento oncológico, acelerando o diagnóstico e a oferta do tratamento adequado”.

O Hospital Oncológico Infantil, unidade pertencente ao Governo do Estado do Pará, oferece diversos serviços oncológicos especializados em áreas como cirurgia pediátrica, infectologia, ortopedia e neurocirurgia, entre outros, além de cuidados paliativos e serviços multiprofissionais, como fisioterapia, fonoaudiologia e psicologia.

A médica oncologista considera o movimento Novembro Dourado como uma importante iniciativa. “Ele contribui para que toda a sociedade possa olhar com mais cuidado para as crianças e jovens, pois eles dificilmente relatam algo de errado com o próprio corpo, já que isso repercute na autoaceitação e na autoimagem, o que dificulta um diagnóstico precoce”, alerta Sweny.

Ela acredita ainda que seja necessário a adoção de ações voltados para a sensibilização da população em geral sobre o câncer infantojuvenil. “É importante que todos tenham um olhar responsável. Acredito que a sensibilização contínua, não só dos profissionais da área de saúde, mas de familiares e cuidadores, seja essencial para vencermos o atraso no diagnóstico”, conclui a oncologista.

Evento alusivo

Na próxima sexta-feira (26), o Hospital Oncológico Infantil receberá, pelo quarto ano, o projeto “Policiais contra o Câncer Infantil”, iniciativa da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no Estado do Pará. O evento nacional tem o objetivo de estimular ações de assistência à criança com câncer, além de reforçar as orientações sobre os sintomas da doença e a importância do diagnóstico precoce para um tratamento com maiores possibilidades de cura.

No local serão realizadas atividades lúdicas, apresentação de cães farejadores, visitação às viaturas e motocicletas da PRF, além de doação de kits de higiene para a Casa do Menino Jesus, entidade filantrópica que oferece apoio às crianças e adolescentes de outras regiões em tratamento em Belém.

O grupo ‘Mãos que ajudam’, que integra o Programa de Voluntariado da Pró-Saúde, formado somente por mulheres artesãs das cidades de Belém, Ananindeua e Marituba, fará a doação de toucas a crianças em tratamento oncológico.

Referência na Região Norte

O Oncológico Infantil Octávio Lobo é uma unidade de referência voltada, exclusivamente, ao diagnóstico e tratamento especializados do câncer infantojuvenil na região Norte do país, atendendo crianças e adolescentes de municípios do Pará e Amapá.

Uma das marcas do hospital, desde a sua inauguração, em 2015, é a oferta de um atendimento diferenciado, pautado nos princípios da Política Nacional de Humanização.

A unidade, mantida pelo Governo do Pará e gerenciada pela entidade filantrópica Pró-Saúde, possui a certificação ONA 3 Acreditado com Excelência, concedida pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), entidade sem-fins lucrativos integrada à uma rede mundial que analisa a qualidade dos hospitais.

O selo é um dos mais importantes aplicados no Brasil e, na prática, significa que o hospital segue padrões internacionais de qualidade e segurança assistencial dedicados aos pacientes.

 

Ampliar fonte
Contraste