No Hospital Galileu, pacientes em tratamento da Covid-19 recebem visitas virtuais de familiares

Visita Virtual

Desde a retomada dos atendimentos aos casos de Covid-19, o Hospital Público Estadual Galileu (HPEG) vem adotando práticas assistenciais de humanização para manter o vínculo entre os pacientes e seus familiares.

Com as chamadas “visitas virtuais”, o hospital vem utilizando tablets para promover o encontro do paciente com a família. O intuito do HPEG é amenizar a saudade e diminuir o estresse e a ansiedade, tanto do paciente quanto da família.

A unidade do Governo do Pará, localizada em Belém, é gerenciada pela entidade filantrópica Pró-Saúde. A entidade possui, entre as suas missões assistenciais, o estimulo aos projetos de humanização, que reforçam a qualidade do atendimento ao paciente.

No HPEG, o projeto das visitas virtuais existe desde 2016, sendo adaptado ao momento da pandemia, como explica Vlamir Garcia, coordenador do setor de Tecnologia da Informação (TI) do hospital.

“O projeto foi readequado para atender de forma segura os pacientes com a Covid-19, mas sem perda de vínculo com a família. Por meio de um tablet, conseguimos proporcionar essa interação entre o paciente e entes mais próximos”, comenta.

O Galileu, unidade de retaguarda no tratamento de pacientes com traumas ortopédicos, voltou a atender exclusivamente os casos de Covid-19, no dia 16 de março. Em 2020, entre os meses de abril e junho, a unidade também prestou atendimento, também de forma exclusiva, aos pacientes com o novo coronavírus.

“Mesmo durante a pandemia, precisamos inserir as práticas humanizadas na assistência ao paciente. E a visita virtual é uma delas. O paciente se sente acolhido e tranquilo ao rever à família”, explica Lidiana Sousa, supervisora de Humanização.

Ainda, de acordo com a profissional, esse trabalho “consegue minimizar a ansiedade causado pelo processo de internação e a saudade dos familiares. Alguns pacientes internados não possuem um aparelho celular. E isso dificulta mais ainda a comunicação dele com a família. Por isso, a visita virtual tem sido bastante eficaz”, acrescenta.

#Emoção ao rever à família#

Internado há 10 dias no HPEG, José de Almeida, de 53 anos, foi surpreendido com a notícia de que poderia fazer uma chamada de vídeo para a família. “Quando me internei, pensei que só iria conseguir ver a família quando recebesse alta. Mas tive a grata surpresa de poder revê-los na chamada de vídeo. Fiquei muito feliz”, afirmou.

Além de José, outros pacientes já realizaram a videochamada. É o caso de Henrique de Lima, de 73 anos. “Achei muito interessante, principalmente para quem não tem celular. Rever minha família me deu um ânimo a mais”, disse.

Por ser referência em traumas ortopédicos, o HPEG precisou se readequar para voltar a atender exclusivamente casos de Covid-19 neste ano. Ao todo, no Galileu, são disponibilizados 90 leitos clínicos e dez de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Nos primeiros 15 dias de atendimento exclusivo à doença, 30 pacientes já tiveram a saúde restabelecida.

Ampliar fonte
Contraste