Materno-Infantil de Barcarena promove capacitação sobre segurança do paciente

O treinamento foi direcionado aos colaboradores da unidade, referência em gestações de alto risco

No ambiente hospitalar, a capacitação de profissionais é um dos processos recorrentes para manutenção dos protocolos de segurança, identificação e aplicação de melhorias, assim como reforço de práticas que auxiliem a assistência de pacientes.

O Hospital Materno-Infantil de Barcarena Anna Turan, por meio do Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente (NQSP), promoveu nessa semana a capacitação referente as Metas Internacionais de Segurança. A ação foi realizada na última terça-feira, 21, sendo voltada aos colaboradores da unidade, como conta Mônica Pantoja, analista de qualidade.

“Nosso intuito é reforçar a adesão por parte dos colaboradores. O apoio dos gestores na multiplicação do conhecimento é fundamental para promover a segurança dos pacientes e dos próprios funcionários”, disse.

As Metas Internacionais de Segurança do Paciente, estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), envolvem a identificação correta do paciente; comunicação efetiva; melhorar a segurança dos medicamentos de alta vigilância; cirurgia segura; redução do risco de infecções associadas aos cuidados em saúde e prevenção de danos decorrentes de quedas. “Com esses treinamentos, agregamos a cultura de segurança na instituição”, afirma Mônica.

Para Ravena de Sá, enfermeira do Materno-Infantil, unidade gerenciada pela Pró-Saúde, o treinamento reforça as práticas segurança no atendimento. “Essas Metas são de grande importância para todos, inclusive pacientes e seus acompanhantes, elas oferecem uma assistência segura e mais humanizada”, comenta.

O coordenador de suprimentos, Saulo Souza, foi um dos profissionais que ministrou a capacitação. O tema abordado por ele foi a identificação correta do paciente. O coordenador afirma que o conhecimento obtido na capacitação serve como valor institucional e envolvem todos os profissionais da unidade.

“Por exemplo, as metas são importantes também para os colaboradores do setor administrativo. É necessário que as recepcionistas no acolhimento da paciente saibam respeitar o nome social da usuária e como preencher corretamente a identificação. Ter esse olhar crítico e humanizado é um diferencial”, conclui.