Maior adesão ao Protocolo de Sepse permitiu salvar 186 vidas no Hospital Regional do Baixo Amazonas

Sepse

Taxa de mortalidade alcançada pela unidade está significativamente abaixo da média mundial

O Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), gerenciado pela Pró-Saúde em Santarém (PA), obteve 95% de taxa de adesão ao Protocolo de Sepse em toda área assistencial do hospital, o que potencialmente evitou 186 óbitos de pessoas diagnosticadas com a doença neste ano.

Segundo o do Instituto Latino Americano da Sepse (ILAS), a doença tem alta mortalidade no Brasil, chegando a 65% dos casos, enquanto a média mundial está em torno de 30% a 40%. No Hospital Regional do Baixo Amazonas, houve uma redução do número de mortes por Sepse, passando de 32% para 18% este ano, índices bastante inferiores à média nacional e mundial.

“Esse resultado comprova o trabalho em equipe, que envolve desde o técnico de enfermagem até a conduta do médico. É uma alegria muito grande alcançarmos esse nível de adesão ao Protocolo de Sepse em nosso hospital, porque trata-se de um grande desafio para os hospitais no Brasil”, compartilha a diretora Assistencial, enfermeira Francilene Veloso.

Antigamente conhecida como infecção generalizada ou como septicemia, a Sepse é uma resposta inadequada do próprio organismo contra uma infecção que pode estar localizada em qualquer órgão. Essa resposta inadequada pode levar ao mau funcionamento de um ou mais órgãos, com risco de morte, se não for descoberta e tratada rapidamente.

Trata-se da principal causa de morte nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI), e uma das principais causas de mortalidade hospitalar tardia, superando o infarto do miocárdio e o câncer, segundo dados (ILAS).

O Protocolo de Sepse adotado no HRBA é um conjunto de ações, implantadas desde 2015, que são aplicadas pela equipe multiprofissional para fazer o diagnóstico precoce de um paciente.

“A alta adesão aos protocolos pode ser atribuída as campanhas educativas realizadas pelo Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH), e ao empenho da equipe multiprofissional em executar as ações necessárias”, reforça a enfermeira supervisora SCIH, Sheila Oliveira.

Se as condutas (diagnóstico precoce da infecção, coleta de exames e administração do antibiótico correto) preconizadas no protocolo forem realizadas em menos de uma hora, é possível diminuir a letalidade da infecção e salvar a vida do paciente.

Para comemorar os avanços e a resolutividade dos casos na área assistencial, a direção da unidade entregou, nesta segunda-feira (16), certificados de reconhecimento aos setores que ajudaram a salvar vidas, ao acionar o Protocolo de Sepse.

“Queremos cada vez mais motivar a equipe multiprofissional sobre a importância do Protocolo de Sepse. A contribuição de cada um, nos dá oportunidade de melhorarmos cada vez mais, com foco contínuo na assistência de qualidade e segurança aos pacientes, um dos pilares da gestão de excelência da Pró-Saúde”, comemora o diretor Técnico, Epifanio Pereira.

O HRBA é reconhecido como um dos dez melhores hospitais públicos do Brasil. É um dos primeiros hospitais públicos do Norte a conquistar a certificação ONA 3 – Acreditado com Excelência, concedido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA). A unidade pertence ao governo do Estado do Pará e presta atendimento 100% gratuito via Sistema Único de Saúde (SUS).