Hospital Oncológico Infantil ressalta os desafios no combate ao câncer infantojuvenil

Hospital Oncológico Infantil

“O primeiro desafio para o diagnóstico precoce ao se pensar em câncer é se lembrar de que a doença não espera”, afirma especialista da unidade, que é referência em oncologia infantojuvenil no Norte do país

O mês de novembro traz uma reflexão especial, com a celebração do Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil (23/11). A data é um alerta à população brasileira sobre a importância do diagnóstico precoce, o que aumenta as chances de cura em até 80% e serve como estímulo para o enfrentamento da doença.

Instituído pelo Governo Federal, em 2008, por meio da Lei nº 11.650/2008, o dia visa incentivar ações educativas e preventivas relacionadas ao câncer infantojuvenil, além de promover debates e outros eventos sobre as políticas públicas de atenção integral às crianças e aos jovens com câncer.

No Pará, o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, gerenciado pela Pró-Saúde desde a sua inauguração em 2015, já ofereceu mais de 1,4 milhão de atendimentos oncológicos para crianças e adolescentes. A unidade, que faz parte da estrutura de saúde pública do Governo do Estado, é referência na Região Norte no diagnóstico e tratamento especializado do câncer infantojuvenil, prestando atendimento totalmente gratuito aos pacientes.

O hospital integra o seleto grupo de unidades que possuem a certificação Acreditado com Excelência – ONA 3, concedida pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), entidade que atesta o alto padrão de qualidade de serviços e segurança assistencial, com foco na segurança do paciente. A certificação de unidades é um dos principais diferenciais da gestão da Pró-Saúde, entidade filantrópica com mais de 50 anos de história e presente em todas as regiões do Brasil.

Em cinco anos de atuação, o Oncológico Infantil tornou-se exemplo no Sistema Único de Saúde (SUS) com atendimento voltado, exclusivamente, para o diagnóstico e tratamento especializado do câncer infantojuvenil ao ofertar um atendimento diferenciado, pautado nos princípios da Política Nacional de Humanização.

O Hospital é referência no Norte do país, atendendo crianças e adolescentes de municípios do Pará e Amapá, sendo a maior unidade de saúde pública voltada ao diagnóstico e tratamento especializado do câncer infantojuvenil.

Desafios na Oncologia Infantojuvenil

A médica pediatra, Alayde Wanderley, coordenadora da área de Oncologia do Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, ao falar sobre os desafios na oncologia infantojuvenil, faz um alerta essencial. “O primeiro desafio para o diagnóstico precoce ao se pensar em câncer é se lembrar de que o câncer não espera”, afirma. “Trata-se de uma doença agressiva e que evolui rapidamente, por isso, o tempo do diagnóstico e início do tratamento são essenciais para a recuperação do paciente’, complementa.

A especialista destaca ainda situações que requerem um olhar mais atento por parte dos pais e responsáveis. “Se notarem que a criança está diferente, mais pálida, menos ativa, com dores frequentes nas pernas, nos braços ou febre que não se sabe de onde está vindo, idas e vindas de posto de saúde de unidade de pronto atendimento, pode ser um sinal precoce de câncer”.

A oncopediatra reforça que o principal desafio é o diagnóstico precoce e que, para isso, é necessário agir prontamente. “Se houver crianças com alguma suspeita ou sintoma voltados para o câncer infantil, é essencial procurar atendimento médico imediatamente, seja em serviços de urgência e emergência ou posto de saúde”, recomenda.

“Crianças com dor de cabeça, com manchas brancas nos olhos, aumento de alguma região (braço, pernas) formando massas, também é um alerta para o diagnóstico precoce”, finaliza a médica.

Evento alusivo

Na manhã desta segunda-feira, (23/11), o Hospital Oncológico Infantil foi anfitrião do projeto nacional da Polícia Rodoviária Federal intitulado “Policiais Contra o Câncer”.

Em alusão ao Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantojuvenil, o evento, realizado em frente à unidade, contou com a raspagem de cabelo de cinco policiais e um colaborador do hospital, como ato simbólico em apoio a todas as crianças que estão em tratamento.

A presença de um voluntário fantasiado de Transformer foi um dos destaques e ninguém perdeu a oportunidade de tirar uma foto do personagem! Em seguida os policiais federais seguiram para as casas de apoio Menino Jesus e Casa Ronald, para realizar a entrega das doações de alimentos, arrecadados desde o início do mês de novembro.