Hospital Metropolitano promove IV Workshop de Biossegurança

Descarte correto de objetos perfurocortantes, utilização adequada de Equipamento de Proteção Individual (EPI), legislação vigente, dentre outros assuntos, foram debatidos no IV Whorkshop de Biossegurança do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua (PA), realizado nesta quinta-feira, 27/10. Para chamar a atenção dos colaboradores, um “descartex humano” visitou os postos de trabalho, levando dicas e conscientizando os profissionais quanto ao descarte correto.  

A iniciativa foi elogiada pela técnica de Enfermagem, Tânia Lúcia Alves da Silva, que há dois anos trabalha no Pronto Atendimento (PA) da unidade. “Gostei muito da ideia, esse assunto deve ser sempre lembrado, tem dias que são mais tranquilos, conseguimos fazer a rotina sem maiores problemas, mas tem dias que são mais difíceis, e nesses dias, temos que estar mais atentos, a gente precisa sempre se autofiscalizar, e fiscalizar o colega, pois o descarte inadequado pode acarretar em sérios problemas”, considera.

O Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (Sesmt), responsável pela organização do evento, também montou uma mesa expositora no hall de entrada da unidade, com todos os Equipamentos de Proteção Individual (EPIS) utilizados no hospital.  “O EPI é um grande aliado na prevenção de acidentes, por isso nós estamos mostrando para o colaborador o uso correto e a importância deles na rotina do trabalhador”, diz o técnico de Segurança do Trabalho do HMUE, Carlos Henrique Batista da Costa.

Também foram expostos os objetivos de uso indevidos, como: brincos, colares, esmalte, dentre outros, que colocam em risco a saúde do colaborador e do usuário. “A NR 32 é uma norma que foi estabelecida pelo Ministério do Trabalho, que contém todas as condições de funcionamento de uma estabelecimento de saúde, no caso do Metropolitano, que é um estabelecimento de saúde de maior alta complexidade, engloba todos os itens composto na NR 32”, explicou a médica e coordenadora do Sesmt, Taís Sampaio.

Durante o whorkshop, também foi realizada uma palestra, com o tema: Biossegurança, que tratou da definição do tema, níveis, quem são os profissionais expostos e falou ainda sobre a legislação aplicada. “A temática requer um cuidado e atenção diferenciada, visto que é de extrema importância sempre reforçar como a gente faz para se prevenir no ambiente de trabalho” diz a médica. O Sesmt promove ao longo do ano treinamentos continuados sobre a temática com toda equipe da assistência. 

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of