Hospital Metropolitano conquista selo de sustentabilidade após concorrer com 43 projetos no país

A unidade foi reconhecida por práticas sustentáveis e proteção ao meio ambiente

O Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua, conquistou o segundo lugar no programa nacional Selo Green Kitchen (Cozinha Verde), como unidade que promove boas práticas sustentáveis por meio de projetos e ações sob o tripé econômico, social e ambiental.

O Metropolitano, gerenciado pela Pró-Saúde, recebeu o reconhecimento após ficar entre as três melhores unidades, em um total de 43 instituições participantes. A certificação evidência o trabalho do Metropolitano, que já havia sido recebido o reconhecimento por práticas saudáveis em anos anteriores, 2017 e 2018.

A recertificação demonstrar a qualidade do Serviço de Nutrição e Dietética (SND) do hospital, nos serviços de alimentação por meio de práticas fundamentadas nos termos definidos pela Fundação para a Pesquisa em Arquitetura e Ambiente (Fupam), da USP (Universidade de São Paulo), idealizadora do Programa Green Kitchen.

O programa é independente e abrange instituições, empresas e entidades que prestam serviços de alimentação sustentáveis com maior destaque no Brasil. A iniciativa do Selo Green Kitchen vem para valorizar as empresas públicas e privadas com certificações e programa de benefícios. Para ser aprovada, a unidade precisa adquirir no mínimo 20 pontos a partir de uma lista com 35 ações sustentáveis que podem ser adotadas pela cozinha da instituição.

De acordo com a coordenadora de Nutrição do Metropolitano, Edilssa Carla, a cozinha do hospital se destacou pelo trabalho de compostagem orgânica e criação da horta sustentável. “O reaproveitamento de cascas de verduras e ovos, restos de legumes e borra de café auxilia na composição de adubo natural para a horta, que produz ingredientes utilizados no cardápio. O processo também contribui para a redução do aquecimento global, pois ajuda a reduzir emissões de gases de efeito estufa”, destaca a coordenadora.

Os processos de reciclagem e separação de resíduos orgânicos auxiliam na proteção do meio ambiente e ainda reduzem custos. As medidas também implicam no aprimoramento da equipe, composta por 62 colaboradores, e na promoção da sustentabilidade por meio de palestras e oficinas com usuários e acompanhantes, para aprenderem sobre as técnicas sustentáveis, dicas para aproveitar alimentos e receitas com talos, cascas e folhas.

Outro benefício também incide na recuperação dos pacientes. Com a utilização de alimentos naturais e mantendo uma alimentação saudável, existe o auxílio na redução do tempo de hospitalização, pois o paciente recebe uma refeição de equilíbrio nutricional com frutas, legumes e verduras orgânicas ou dietas personalizadas.

De acordo com o Diretor de Apoio, Alisson Gomes, a conquista é fruto de um planejamento voltado à mudança de conscientização alimentar e adoção de práticas sustentáveis, pela equipe de nutrição, que foi acolhido também pelos colaboradores.

“Nós que atuamos na unidade, nos sentimos felizes pela conquista. O selo representa mais do que o reconhecimento de um trabalho, reforça nosso comprometimento com o usuário e colaboradores na oferta de uma alimentação saudável e sustentável. Mas também reflete o cuidado ao meio ambiente, a valorização dos recursos da saúde e promovem a sustentabilidade”, afirma.

O Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, unidade do Governo do Pará, é referência no tratamento de média e alta complexidades em traumas e queimados para a região Norte, pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O Metropolitano realizou, em 2019, mais de meio milhão de atendimentos, entre internações, cirurgias, exames laboratoriais e por imagem, atendimentos multiprofissionais e consultas ambulatoriais.