HEAPN: Projeto SOS Reimplante realiza primeiro transplante de dedo do pé na mão

O Programa SOS Reimplante do Hospital Estadual Adão Pereira Nunes (HEAPN), no Rio de Janeiro, administrado integralmente pela Pró-Saúde, realizou, no último dia 17, o primeiro transplante de dedo do pé na mão.  Segundo o microcirurgião José Recalde, coordenador do Programa, a técnica consistiu na retirada do segundo dedo do pé do paciente e reimplantado no lugar do polegar amputado na mão, religando artéria, veia, tendão e nervos.

“O paciente perdeu o polegar esquerdo em um acidente de moto. No caso dele, foi impossível o reimplante do dedo, porque o grau de comprometimento do membro era grande. O polegar é o dedo mais importante e por isso nosso esforço em reimplantar esse membro. No mesmo dia da cirurgia de reimplante, fizemos uma plástica no pé do paciente para que ficasse esteticamente aceitável. Os procedimentos foram um sucesso”, ressalta o coordenador.

Recalde explica ainda que após a recuperação, além do retorno gradativo do movimento do dedo da mão, o paciente pode continuar fazendo tudo com o pé que foi operado, inclusive correr e jogar bola. “Não há risco de perda de equilíbrio ou qualquer outra dificuldade. A vida segue normal”, disse.

Carlos Henrique Pacheco, 33, está muito feliz com o sucesso da cirurgia, apesar de saber que ainda precisa de algum tempo para reabilitar o membro implantado. “Sou muito grato por todo atendimento da equipe desta unidade. Só quando a gente perde um membro é que nos damos conta da dificuldade que é viver sem ele. Quando perdi meu dedo, perdi junto 40% dos movimentos que poderia fazer com mão. Mas agora, me sinto renovado e com muitas esperanças de voltar a segurar minha escova de dentes”, disse sorrindo.  

De acordo com Recalde, atualmente, cerca de 50 pacientes do programa poderiam se beneficiar da técnica, que pode ajudar na recuperação de movimentos básicos do membro, como a pinça e manipulação fina de objetos, e em tarefas como segurar talheres e escrever. Ainda segundo o coordenador, 85% dos casos atendidos pelo programa são de acidentes com os dedos. Até momento, o projeto realizou 162 reimplantes no total, com taxa de 76% de sucesso.