Home » Especialista alerta sobre os malefícios do uso excessivo de fones de ouvido e dá dicas de prevenção
Surdez

Especialista alerta sobre os malefícios do uso excessivo de fones de ouvido e dá dicas de prevenção

No dia 10 de novembro é lembrado o Dia Nacional de Prevenção e Combate a Surdez

É cada vez mais comum a utilização de fones de ouvido, no entanto o uso em excesso e de maneira incorreta, pode prejudicar a saúde auditiva. Segundo estudos da Organização Mundial de Saúde (OMS), 50% da população mundial entre 12 e 35 anos, poderá ter problemas de audição até 2050.

De acordo com Samara Oliveira, fonoaudiólogo do Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá (PA), os fones têm causado cada vez mais dificuldades de audição, principalmente nos indivíduos que utilizam o aparelho em volume elevado e durante um período prolongado.

“Quanto mais intenso for o som, menor deve ser o tempo de exposição, evitando assim a destruição precoce das células auditivas. Muitos smartphones são equipados com limitadores de som, que avisam quando o volume do áudio está acima dos limites recomendados, e é importante que as pessoas utilizem esses recursos”, explica.

A especialista alerta que a utilização de forma inadequada do aparelho pode prejudicar a audição de forma irreversível, pois a parte interna do ouvido humano possui milhares de células ciliadas, que têm a função de transformar as ondas sonoras que chegam no ouvido em ondas elétricas que são enviadas para o cérebro.

“Quando o som é extremamente alto, esses cílios são “arrancados” e destruídos, e não se regeneram mais, ocasionando a perda auditiva por exposição excessiva a ruídos”, reforça a fonoaudióloga.

Alguns sinais podem indicar perda auditiva para aqueles que exageram na utilização dos fones, como dificuldade de compreender palavras, especialmente na presença de ruídos, sentir frequentemente tontura, ouvir zumbidos sem razão aparente e ter dificuldade de concentração.

O Dia Nacional de Prevenção e Combate à Surdez, celebrado em 10 de novembro, tem como objetivo conscientizar a sociedade sobre a importância da audição e como lidar com pessoas com deficiência auditiva. A data também visa orientar sobre o que é a surdez, quais são as suas causas e tratamentos.

Prevenção

A maior causa da perda auditiva por excesso de ruídos decorrente dos fones de ouvido, é o volume elevado. Se o nível de som ficar abaixo dos 80 decibéis, é possível ouvir música em segurança por até 40 horas por semana para os adultos. No caso de crianças, o índice indicado cai para 75 decibéis.

O volume ideal para os fones de ouvido é menos de 60% da capacidade máxima de áudio. Além disso, o aparelho deve estar ajustado e, se possível, ter cancelamento de ruído, como os fones que cobrem toda a orelha do usuário.

A especialista do HRSP dá dicas para conservar a saúde auditiva:

• Regule o volume do fone na escala intermediária (por exemplo, se a capacidade for de 0 a 10, o ideal é 5);
• Faça intervalos de repouso sonoro, preferencialmente de uma a duas horas por dia;
• Caso utilize apenas um lado do fone, alterne o uso entre o ouvido esquerdo e direito;
• Fique atento a sensação de dor, abafamento, zumbido (chiado ou apito) ao retirar o fone, são sinais de super estimulação;
• Dê preferência ao uso dos modelos supra-aurais, que ficam por fora da orelha, eles tendem a prejudicar menos que os fones de inserção.

O Hospital Regional do Sudeste do Pará é referência para mais de 1 milhão de pessoas de 22 municípios da região. A unidade, que pertence ao Governo do Pará, sendo gerenciada pela entidade filantrópica Pró-Saúde, presta atendimento 100% gratuito pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

Ampliar fonte
Contraste
Voltar para o topo da página - Pró-Saúde