Em e-book, Pró-Saúde mostra como levar assistência espiritual a pacientes

lancamento-ebook

Diretrizes estabelecem procedimentos que evitam risco de contaminação por Covid-19 durante assistência espiritual realizada por religiosos e voluntários em pacientes internados nos hospitais.

A Pró-Saúde lançou nesta semana um e-book com orientações para reduzir o risco de contaminação por Covid-19, durante assistência espiritual realizada por religiosos, em pacientes internados nos hospitais que gerencia.

O e-book está disponível para download gratuito no site da instituição filantrópica. A página contém um vídeo com o passo a passo para realizar a paramentação e desparamentação dos equipamentos de proteção permanente.

A Pró-Saúde desenvolve em seu portfólio a Pastoral da Saúde, coletivo composto por um grupo de voluntários religiosos que vão aos hospitais oferecer conforto espiritual aos doentes internados.

A lei 9.982, de 14 de julho de 2000, concede aos religiosos de todas as confissões “o acesso aos hospitais da rede pública ou privada, bem como aos estabelecimentos prisionais civis ou militares, para dar atendimento religioso aos internados, desde que em comum acordo com estes, ou com seus familiares no caso de doentes que já não mais estejam no gozo de suas faculdades mentais”.

Mas durante a pandemia causada pelo novo coronavírus, a Pastoral da Saúde havia reduzido as atividades em muitos hospitais. Por orientação da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e da própria Pastoral da Saúde Nacional, as visitas ainda devem ser restritas, incluindo, neste contexto, os voluntários.

Para o vice-presidente da Pró-Saúde, monsenhor Antônio Robson Gonçalves, as visitas religiosas desempenham um importante papel no cuidado junto ao paciente.

“Além dos cuidados clínicos, dispensados por equipes multidisciplinares, é importante oferecer aos nossos irmãos a possibilidade do conforto espiritual, realizada seja por sacerdotes ou por pessoas que fazem parte de Pastorais de Saúde”, afirmou.

O e-book foi elaborado pela Diretoria Médica da instituição a pedido dos diretores Estatutários, colegiado composto por religiosos da Igreja Católica que atuam pela Pró-Saúde.

“O manual disponibilizado pela Pró-Saúde traz importantes observações para que seja mantida a integridade de todos os envolvidos neste processo assistencial, reestabelecendo, conforme pedido do Papa Francisco, a presença do Sacerdote para apoio espiritual ao enfermo”, disse Fernando Paragó, diretor Corporativo Médico da Pró-Saúde.

Ele acrescentou que as orientações “estabelecem critérios que possibilitam que os religiosos continuem promovendo apoio aos pacientes com menor risco possível de contaminação”.

O documento é voltado para todas os hospitais e unidades de saúde do país e foi formulado a partir de diretrizes dos principais órgãos sanitários, como a Organização Mundial de Saúde (OMS), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e Conselho Federal de Enfermagem (COFEN).

Dom João Bosco Óliver de Faria, presidente da Pró-Saúde, observou que neste momento crucial, é preciso cuidar da saúde física e espiritual do paciente.

“A solidariedade, a fé, o amor ao próximo e a celebração de sacramentos exercem grande poder para na recuperação de pacientes. Garantir que a assistência espiritual aconteça com segurança, ajudará a todos no apoio a vida”, disse.

Com mais de 50 anos de atuação e considerada uma das maiores entidades filantrópicas de gestão hospitalar do país, a Pró-Saúde é responsável, hoje, pela gestão de 28 hospitais no Brasil. São mais de 16 mil colaboradores e 1,1 milhão de atendimentos mensais realizados nas unidades de saúde sob gestão da entidade.

Para fazer o download do e-book, acesse aqui.

Ampliar fonte
Contraste