Criança em tratamento contra o câncer escreve carta para o Papai Noel pedindo cura

Carta de Natal

Em ação do Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, pacientes tiveram cartinhas de Natal adotadas por colaboradores e voluntários. Entre as cartinhas, a pequena Rihanna, de 5 anos, pediu saúde para ela e para as outras crianças

Em meio às dezenas de cartas coletadas pelo Projeto “Cartinhas, um sonho de Natal”, desenvolvido pelo Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, em Belém, foram encontrados pedidos que emanam sentimentos e a reflexão sobre o verdadeiro sentido do Natal.

Desde o início do mês de dezembro crianças e jovens, atendidos nas enfermarias do hospital, redigem cartas ao Papai Noel, com apoio dos seus responsáveis, informando o seu presente desejado de Natal. As cartinhas são adotadas por colaboradores e voluntários, que viabilizam a entrega dos presentes.

Durante a leitura e triagem para o direcionamento aos ‘padrinhos’ dessas cartas, foram encontrados pedidos que fugiram do convencional, a exemplos de outras cartas que possuíam presentes como carrinhos de controle remoto, tablets, aparelhos de jogos eletrônicos, boneca que fala, bonecos de heróis, dentre outros.

O pedido da pequena Rihanna Costa, de 5 anos, foi um dos mais emblemáticos por seu significado. Com a ajuda de seu pai, Roselino Silva, ela escreveu a carta com a seguinte mensagem: “Quero que Papai Noel peça para Deus que me dê a minha saúde e de todas essas outras crianças também e que Deus proteja cada um de vocês que trabalham neste hospital. Este será o meu maior presente”.

Rihanna é um dos mais de mil pacientes que mensalmente recebem atendimento ambulatorial no hospital. A pequena é natural do arquipélago de Bailique, no Estado do Amapá, e está no Oncológico no enfrentamento de um linfoma desde outubro deste ano.

O pai da paciente mirim é agricultor, trabalha com manejo de açaí e conta como foi que surgiu a ideia da carta. “Desde que adoeceu sempre conversei muito com ela, inclusive sobre a perda dos cabelos. Mas um desses dias eu perguntei o que ela queria ganhar de Natal e ela me respondeu prontamente que queria sua saúde de volta”, disse o pai, com a voz embragada.

O agricultor, de modo reflexivo, conclui que “às vezes a gente só se dá conta quando a situação é difícil e essa deixou a minha vida de cabeça para baixo. Então comecei a ver as coisas de modo diferente. Para mim o verdadeiro sentido do Natal é poder estar junto e valorizando as pessoas que amamos”, completa.

Projeto “Cartinhas, um sonho de Natal”

Por meio do setor de Humanização, com o apoio do Escritório de Experiência do Paciente do Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, a iniciativa do projeto das “cartinhas” tem como objetivo estimular a solidariedade entre os colaboradores e voluntários da instituição.

A ação integra os princípios institucionais da Pró-Saúde, entidade gestora do hospital, que reforça nas unidades que administra a importância da qualidade assistencial em conjunto com a humanização no cuidado ao paciente.

“A nossa missão é manter o paciente sempre no centro do atendimento, transmitindo cuidado, atenção e segurança. Além dessas diretrizes, que fazem parte do trabalho desenvolvido pela Pró-Saúde, com essas ações também estimulamos a solidariedade, fortalecendo laços afetivos e que nos ensinam ainda mais sobre o valor da vida”, comenta Fábio Machado, diretor Hospitalar do Oncológico Infantil.

Jovem também pede saúde de presente

Uma outra mensagem que também chamou a atenção foi a da adolescente Geovana Leal, de 16 anos, do munícipio de Santa Cruz do Arari, região do Marajó. Ela emocionou toda a equipe de colaboradores, pois revelou no trecho de sua carta que “não vim pedir muito, me acostumei com o pouco e dou graças a Deus por meu coração ser assim. O meu principal pedido é ter a minha saúde de volta e tenho fé que isso vai acontecer”.

A jovem contou que setembro foi o mês do seu aniversário e que não pôde comemorar com sua família e amigos porque estava internada, mas que espera o dia em que vai poder comemorar o próximo aniversário.

A coordenadora administrativa do Escritório de Experiência do Paciente, Karla Emanuelle Cruz, acredita que os relatos dos pacientes e de seus familiares têm uma finalidade especial. “O tempo todo as nossas jornadas se cruzam com as de outras pessoas. O entrelaçar dessas experiências nos ensina todos os dias a ressignificar, valorizar as pessoas e entender que o verdadeiro sentido do Natal está em algo muito especial: a vida”, afirmou.

O Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo é uma unidade do Governo do Pará, sendo gerenciado pela Pró-Saúde desde a sua inauguração, em 2015. O hospital obteve a marca de 1,4 milhão de atendimentos no primeiro semestre deste ano entre cirurgias, internações, consultas ambulatoriais, sessões de quimioterapia, dentre outros serviços.

Ao longo de sua trajetória, o hospital obteve importantes passos que são motivos especiais para o time de profissionais que formam a instituição e trabalham para a oferta de um serviço para um público altamente vulnerável.

Um desses passos é ter conquistado, em outubro de 2019, o selo de Acreditado com Excelência – ONA 3, certificação concedida pela Organização Nacional de Acreditação – ONA, entidade não governamental e sem fins lucrativos que atesta o alto padrão de qualidade de serviços e segurança assistencial, com foco na segurança do paciente.