Com 97% de aprovação, Oncológico Infantil atendeu gratuitamente mais de 274 mil em 2017

Quando precisou sair de Primavera (PA), em novembro de 2017, Kelly Silveira chegou ao Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo com muito mais dúvidas do que certezas em relação à saúde do filho J.V.S.S, de três anos. Hoje, enquanto ela ouve de médicos e enfermeiros as respostas para suas dúvidas, vê o filho fazer quem estiver por perto correr com ele pelo hospital enquanto distribui sorrisos.

Já com o filho no colo, Kelly faz questão de falar sobre esse período no Oncológico Infantil e como a atenção recebida tem amenizado a distância da família. “Cheguei aqui aflita, mas o atendimento por parte das médicas e enfermeiras sempre foi muito bom. Qualquer criança que está aqui ganha uma segunda mãe ou um segundo pai, é como se cuidassem dos próprios filhos. Como se estivesse em casa com esse cuidado”, disse Kelly.

Do outro lado do corredor, enquanto aguarda o início de uma nova etapa do tratamento do filho M.V.B.V, de oito anos, Dayse Eticiana Costa Brito lembra que, desde quando chegou no Oncológico Infantil, em 2015, logo que o hospital abriu as portas, sempre contou com o bom atendimento dos médicos. “Desde o início os médicos sempre fizeram de tudo para que tivéssemos todas as informações em relação ao tratamento. Hoje não é diferente. Converso com os médicos e sei que os exames estão já sendo feitos, para iniciarmos essa nova fase de tratamento”, disse a mãe.

Em 2017, foram 274.280 atendimentos realizados gratuitamente no Oncológico Infantil. Número que supera os registros de 2016 em 13,32%, quando a unidade gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), teve 242.031 atendimentos.

Com 89 leitos, sendo dez de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), o Oncológico Infantil já é referência no tratamento do câncer infantojuvenil no Norte e Nordeste do país. Habilitado pelo Ministério da Saúde como Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) em 2017, o hospital teve ainda um aumento de 3% nas avaliações positivas de seus atendimentos, alcançado a marca de 97%. 

Diferença

Mesmo com 148.503 exames realizados, 32.449 sessões de quimioterapia, 1.705 internações, 865 cirurgias, 14.279 atendimentos emergenciais e ambulatoriais e outros 76.479 atendimentos da equipe multiprofissional (Psicologia, Serviço Social, Fonoaudiologia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional), a diretora-geral do Oncológico Infantil, Alba Muniz, acredita que um atendimento humanizado é o diferencial para a satisfação do usuário. “São coisas simples que estamos fazendo, mas a diferença está na forma como tudo isso tem sido feito”, avaliou.

O diretor Operacional da Pró-Saúde no Pará, Paulo Czrnhak, explica que o diferencial do Hospital Oncológico está na cultura participativa adotada. ''O tratamento na unidade vai além do cuidar do paciente, e sim, acolher a família, de forma que ela compreenda e participe ativamente de cada etapa. Para nós, a opinião dos usuários e seus acompanhantes, com o seu engajamento, é fundamental para que possamos ofertar um serviço em saúde de excelência, resolutivo, humanizado. Afinal, saúde se faz com ciência e amor''.

Com a missão diária de tratar e cuidar com segurança e humanização de seus pacientes, o Oncológico Infantil desenvolve uma série de projetos voltados para o bem-estar dos usuários e dos colaboradores. São rodas de conversa, momentos de oração, festinhas para os aniversariantes, estímulo ao empreendedorismo e as visitas de voluntários que mudam a rotina de quem vive no hospital.

É o caso de dona Carmem Lúcia da Silva e do filho V.S.V., internado há quatro meses na unidade. Em um dia eles receberam voluntários tocando e cantando clássicos da música paraense e, no dia seguinte, já estavam na gameterapia – recurso da Fisioterapia que utiliza o videogame e jogos específicos para trabalhar a funcionalidade do paciente. Enquanto o filho imaginava se seria músico como os voluntários, um grande astro do tênis ou do boxe, mesmo que virtualmente, a mãe se animava com a alegria do filho durante o tratamento. “Aqui somos só eu e ele. Minhas filhas ficaram em Muaná e, às vezes, a gente fica triste, com saudade, mas sempre tem alguém tentando nos alegrar e quando vejo o sorriso do meu filho, fico mais contente”, disse ela.

Fórmula

Seguindo a fórmula do tratamento humanizado e a gestão com qualidade, o Oncológico Infantil acabou aumentando também a sua lista de prêmios e certificações, que acabam contribuindo para o sucesso da forma de trabalho adotada pelo Oncológico Infantil. “O planejamento não era ganhar prêmios, mas ao atingirmos objetivos, eles acabam se tornando realidade e nos ajudam a alcançarmos nosso objetivo de ser o melhor hospital do Norte e Nordeste em oncologia pediátrica”, ressaltou a diretora-geral.

Entre os principais reconhecimentos recebidos pelo Oncológico Infantil em 2017, estão: a Acreditação ONA 1, que reconhece a unidade por atender aos critérios de segurança do paciente em todas as áreas de atividade, incluindo aspectos estruturais e assistenciais; o Prêmio Excelência em Saúde – categoria Gente e Gestão, que certifica as instituições de saúde que se destacaram no setor, pela inovação na gestão, a excelência no atendimento e atuação de forma sustentável em sua comunidade.

Outros reconhecimentos importantes vieram com o Prêmio Líderes da Saúde Norte e Nordeste – categoria Saúde Pública; o 2º lugar no Prêmio Ser Humano, além do selo Green Kitchen para sua cozinha e do reconhecimento pela participação campanhas internacionais coordenadas pela Rede Global de Hospitais Verdes e Saudáveis. 

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of