Campanha feita por entidade filantrópica mobiliza doadores on-line para ajudar famílias da zona Leste da capital

Somos a Soma

Doações aconteceram na internet por meio de plataforma de financiamento coletivo, que garantiu alimentos para 250 famílias de crianças atendidas em quatro creches.

Um total de 250 famílias de crianças atendidas em quatro Centros de Educação Infantil, na zona Leste da capital paulista, recebeu cestas de alimentos nesta semana.

As doações foram realizadas por meio da campanha “Somos a Soma”, desenvolvida pela entidade filantrópica Pró-Saúde, responsável pela gestão das quatro unidades educacionais desde a década de 90.

A iniciativa arrecadou R$ 11.442,00, por meio da plataforma de crowdfunding Benfeitoria.

“Neste ano, conseguimos ajudar 272 famílias que tiveram suas rendas severamente afetadas”, ressalta Regina Victorino, superintendente corporativa de Filantropia da Pró-Saúde.

Ela acrescentou que as famílias beneficiadas pela campanha moram em uma área de vulnerabilidade social. “Todos os anos, fazemos campanhas para tentar amenizar a situação”, acrescentou.

Regina também agradeceu as doações que ocorreram em um momento de grande dificuldade para a maioria das pessoas.

“Com frequência vemos na televisão a dificuldade que muitas entidades têm para conseguir doações que vão fazer a diferença na vida de quem precisa”, ela disse.

Por isso, acrescentou a superintendente de Filantropia, “gostaria imensamente de reforçar a nossa gratidão por esse gesto de solidariedade”. “Com a ajuda de cada um, conseguimos levar um pouco de paz e esperança.” Ajudar o próximo é um exercício de bondade humana”

A campanha, que neste ano destacou o slogan “Abrace com a solidariedade”, teve duração de três meses e beneficiou as crianças atendidas no Centros de Educação Infantil Jardim Eliane, Santa Rita, Jardim São Jorge e Lageado.

Maria Alves, mãe da pequena Maxini, recebeu a cesta na última quinta-feira (15/7), no CEI Lageado. “Eu estou desempregada e essa doação está ajudando não só a mim, mas outras mães, eu falo em nome delas também. Obrigada por manter esse projeto e aos parceiros que não nos deixaram desamparadas”, declarou.

Em abril do ano passado, a Pró-Saúde usou o financiamento coletivo para viabilizar alimentos e kits de higiene pessoal, já pensando nas dificuldades causadas pela Covid-19 e na necessidade de se proteger do vírus.

Também foram distribuídos brinquedos, livros e materiais escolares para que as crianças continuassem aprendendo em casa, já que as atividades presenciais foram interrompidas em decorrência da pandemia.

Ampliar fonte
Contraste