Aumento de casos de sarampo acende alerta para crianças com câncer

Crianças em tratamento oncológico podem ter complicações graves se infectadas pela doença; vacina está disponível gratuitamente na rede pública de saúde

Enquanto os números do coronavírus avançam em todo o mundo, outra doença, ainda mais contagiosa, tem sido sinônimo de preocupação nos serviços de saúde do Brasil. O sarampo, que até 2016 era considerado erradicado nos país, tem apresentado números crescentes entre adultos e crianças.

A médica infectologista do Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, unidade gerenciada pela Pró-Saúde em Belém, Ilce Menezes, explica como o sarampo pode ser tão perigoso quanto o novo coronavírus. “O sarampo é uma das doenças mais contagiosas que existem. Uma pessoa infectada por sarampo pode transmitir a doença para até 10 pessoas. Já o Covid-19 tem uma transmissibilidade estimada de 2 a 3 pessoas por caso”, diz a médica.

A vacina contra o sarampo é forma mais eficaz de assegurar a prevenção. Ela é disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e pode ser encontrada em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

Assim como para os casos de coronavírus, crianças em tratamento oncológico fazem parte do grupo de risco do sarampo, já que a infecção pode levar a complicações graves no tratamento. “Em crianças imunodeprimidas, como as que fazem tratamento contra o câncer, a infecção por sarampo pode levar a complicações como pneumonia e meningocefalite, que podem ser fatais. Por isso, é fundamental que as pessoas que ainda não são vacinadas, procurem os postos de saúde para se imunizar”, ressalta Ilce.

O alerta vem em meio às celebrações pelo Dia Mundial da Saúde (7/4), criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para conscientizar a sociedade sobre doenças que atingem a população mundial e alertar sobre os riscos e a prevenção. Segundo dados do Departamento de Epidemiologia da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), entre agosto de 2019 e fevereiro deste ano, 478 casos de sarampo foram registrados no Pará, sendo 105 em pessoas de 20 a 29 anos, 94 em jovens de 15 a 19 anos, 91 casos em menores de um ano de idade e 61 em crianças de um a quatro anos de idade.

Atualmente, cerca de 900 crianças e adolescentes estão em tratamento no Hospital Oncológico Infantil, unidade do governo do Estado do Pará, referência em oncologia pediátrica no norte do país que presta atendimento 100% gratuito.

Em 2019, o Hospital se tornou o primeiro na rede pública do país, com atendimento em oncologia pediátrica, a conquistar a certificação ONA 3 – Acreditado com Excelência. Esse é o maior nível de reconhecimento concedido pela Organização Nacional de Acreditação, entidade respeitada e com atuação nacional responsável pela avaliação dos serviços de saúde do País, destacando os melhores resultados de gestão, qualidade e segurança voltados ao paciente.

Sintomas e transmissão

Febre, tosse persistente, irritação nos olhos, coriza, manchas avermelhadas no corpo são alguns dos sintomas do sarampo.

Com alto índice de contágio, a doença pode ser transmitida de duas formas: pelo contato direto com secreções de vias respiratórias de uma pessoa infectada após ela tossir, espirrar ou mesmo falar ou quando há contato com superfícies contaminadas, seguido pela passagem das mãos nos olhos, boca ou nariz.

Ampliar fonte
Contraste