Alta hospitalar de paciente com a Covid-19 emociona e traz esperança no Regional do Baixo Amazonas

Durante a saída da unidade, paciente ganhou homenagens e aplausos da equipe assistencial

Um dos pacientes com a Covid-19, em tratamento no Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém, recebeu alta após 16 dias internação. Rizonaldo Rego de Lima, de 44 anos, voltou para a sua residência na tarde desta quinta-feira, 16/4, após 16 dias internado. Ao deixar o hospital o paciente ganhou um “corredor de aplausos” das equipes da unidade e foi recebido pelos familiares que também fizeram agradecimentos aos profissionais que estão na linha de frente no HRBA.

Referência para atendimento de casos de Coronavírus (Covid-19) no Oeste do Pará, deu alta por melhora ao seu 5º paciente recuperado da doença, Rizonaldo Rego de Lima, de 44 anos, após 16 dias internado. Ao deixar o hospital o paciente ganhou um “corredor de aplausos” das equipes da unidade e foi recebido pelos familiares que também fizeram agradecimentos aos profissionais que estão na linha de frente no HRBA.

O primeiro paciente a receber alta por melhora no quadro clínico foi o empresário Eliésio Gama, de 54 anos, que ficou por 11 dias internado, tendo a alta médica por melhora no dia 7 de abril. “Gostaria de agradecer aos profissionais que cuidaram de mim nos dias que fiquei em tratamento no Hospital Regional. Não vou citar nomes porque não lembro o nome de todos. Agradeço primeiro a Deus, depois a cada um desses profissionais de saúde, que além de gratidão, merecem reconhecimento. Vocês são uma espécie de anjos em nossas vidas. Falo da equipe de limpeza, enfermeiros, técnicos, fisioterapeutas e médicos. Pessoas que me trataram com educação, respeito e carinho. Todos estão de parabéns pela sua profissão, pois vi o quanto é difícil, mas que por suas aptidões, vencem a cada dia. Que Deus abençoe cada um de vocês e suas famílias”, disse em mensagem de áudio enviada aos profissionais do hospital.

O hospital do Governo do Pará, gerenciado pela Pró-Saúde, que presta atendimento 100% gratuito a uma população de 1,3 milhão de pessoas residentes em 28 municípios do Oeste do Pará, tinha até às 14h desta sexta-feira (17), 10 pacientes confirmados de Coronavírus passando por tratamento. As altas de pacientes confirmados recuperados, já somam cinco, sendo o primeiro um homem de 54 anos, a segunda alta foi de uma mulher de 37 anos, a terceira de uma mulher de 45 anos, o quarto a receber alta por melhora foi um homem de 41 anos e o quinto um homem de 44 anos.

O sucesso na recuperação dos pacientes se deve ao empenho contínuo da equipe multiprofissional que está na linha de frente de combate à doença. Médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, fisioterapeutas e auxiliares de higiene e limpeza que fazem plantões de diários levando assistência segura aos internados. Profissionais que trabalham incansavelmente, com agilidade e competência sempre com foco na resolutividade e humanização.

Além da dedicação dos profissionais da saúde, a suspeita precoce dos casos da doença e o disponibilização de uma estrutura adequada, colaboram para os bons resultados. “Os pacientes que recebemos, primeiro recebem atendimentos em unidades da atenção básica, após a detecção dos sintomas e da gravidade, são devidamente regulados através da Secretaria de Saúde do Estado, e após transferidos, imediatamente recebem a assistência de nossas equipes. A suspeita precoce é um dos grandes diferenciais para alcançarmos a recuperação dos pacientes, mas a estrutura, o seguimento dos protocolos do Ministério da Saúde e a competência dos nossos profissionais contribuem muito para a excelência e a recuperação”, destaca a médica infectologista do HRBA, Cirley Lobato,

Preparação da estrutura e capacitação da equipe

Desde o início de fevereiro, quando o assunto começou a tomar relevância no país, e após ser escolhido pela Sespa e Ministério da Saúde, como unidade de referência para atendimentos de Covid-19, o Hospital Regional adotou uma série de precauções necessárias antecipadamente. No dia 7 de fevereiro realizou o primeiro treinamento com a equipe assistencial, com a simulação de chegada de paciente com suspeita de infecção grave. Com treinamentos contínuos, os colaboradores foram orientados sobre a identificação de caso suspeito, fluxograma de recebimento de pacientes e uso dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

A unidade destinou aos casos de Covid-19, 11 leitos na UTI Adulto, 4 leitos na UTI Pediátrica, 3 na UTI Neonatal, além da criação de 13 novos leitos de UTI e Semi-Intensiva, na unidade de internação do 4º andar, totalizando 31 leitos. “Além de reservamos leitos já existentes, prevendo a necessidade, fizemos adequação na estrutura física do 4º andar para funcionar como unidade de internação Semi-Intensiva, com isolamento de coorte, ou seja, mantendo a distância recomendada entre os leitos, para atender mais pacientes. Se aumentarem o número de casos na região, e houver necessidade de aumento de leitos, a unidade está preparada para fazer adaptação de novas áreas de isolamento no hospital, para assegurar o atendimento à população”, ressaltou o diretor Hospitalar, Hebert Moreschi.

Plano de Contingência

Para garantir uma assistência organizada, o Regional do Baixo Amazonas elaborou um Protocolo Clínico (atualizado continuamente), por meio do Núcleo de Hospitalar de Epidemiologia (NHE) e Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH), que estabelece um fluxograma e diretrizes específicas para atendimento de pacientes com casos suspeitos e/ou confirmados da doença (Covid-19), com base em recomendações do Ministério da Saúde.

O Regional de Santarém, que está entre os dez melhores hospitais públicos do Brasil, também já realizou a instalação de tendas ao ar livre no jardim do hospital, para evitar aglomerações nas recepções do ambulatório de consultas, ambulatório oncológico, acolhimento e na hemodiálise, além da instalação de nove pias externas, para estimular usuários à importante tarefa de higienizar as mãos corretamente, antes de entrar no hospital, e espalhou dispensadores de álcool em gel por pontos estratégicos da unidade.

Ampliar fonte
Contraste