Acompanhantes produzem cartões sustentáveis de Natal em oficina do HRBA

A professora Maria do Socorro Caldeira acompanha o sobrinho durante o tratamento de câncer que ele realiza no Hospital Regional do Baixo Amzonas (HRBA), em Santarém (PA). Com o passar dos dias, ela vai ficando cansada da rotina hospitalar e angustiada em ver alguém tão próximo passar por um tratamento tão desgastante. Mas, agora, ela encontrou um bom e relaxante passatempo para amenizar o sofrimento. “Eu achei muito interessante a ideia, até porque estamos em um hospital, e eu nunca tinha visto isso. Todos os dias em que eu passava por aqui, tinha alguma coisa diferente, e isso foi chamando a minha atenção, até que resolvi participar”, conta.

A ideia interessante a qual Maria do Socorro se refere é a “Oficina de Cartões Sustentáveis de Natal”, promovida pelo Comitê de Sustentabilidade da instituição, durante as duas últimas semanas e que será encerrada na sexta-feira, 22/12. A ação é direcionada aos acompanhantes e colaboradores da unidade, interessados em confeccionarem cartões, porta-retratos e cadernos de anotações, entre outros objetos.

A oficina faz parte do projeto “Caracol, giro ambiental hospitalar”, que consiste no reaproveitamento de materiais usados no hospital, como tampas de medicamentos, papeis e bombonas plásticas. Ou seja, o que antes ia parar no lixo, agora ganha utilidade ou se transforma em presentes. “Como eu sou professora, esse reaproveitamento de materiais me despertou a atenção. Também é uma forma de homenagear alguém com um cartão. São coisas simples e práticas”, diz a acompanhante Maria do Socorro.

Um coletor é colocado em áreas específicas do hospital, reservado especificamente para os materiais que podem ser reaproveitados. Após a coleta é feita a higienização. De janeiro a outubro de 2017, somente neste projeto, foram reaproveitados 636 kg de resíduos. “A ideia é aproveitar ao máximo o material que é descartado no hospital e mostrar para o colaborador e acompanhante que é possível criar diversos objetos. São coisas que antes as pessoas descartavam e, agora, passam a reaproveitar. É muito gratificante saber que o hospital tem contribuído com o meio ambiente e compartilhado conhecimento”, explica a responsável pelas oficinas, Waneide Ferreira.

As oficinas acontecem ao longo do ano, com temáticas diferentes. Desde o início do projeto, no final de 2015, mais de 2 mil pessoas já participaram das oficinas promovidas pela unidade. “A gente vai se alegrando com os outros, arrumando bons amigos aqui dentro. É o primeiro hospital em que eu vi a população ser bem acompanhada. Se preocupam muito com a qualidade, a segurança, a higiene. Isso é muito importante e, hoje, vim fazer uma declaração de amor para minha esposa, produzindo este cartão”, compartilha José da Silva, que acompanha o cunhado com câncer no pâncreas.

Para quem trabalha no hospital, a oficina também é importante. “É legal para nós, que ficamos aqui durante todo o dia, tirarmos um tempinho para distrair. É um momento para despertar as ideias e acabamos descobrindo que temos habilidades que ficam escondidas sem sabermos”, afirma a auxiliar administrativa Graziele Vieira da Costa.

O Hospital Regional do Baixo Amazonas – pertencente ao Governo do Pará e gerenciado, desde 2008, pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) – tornou-se o primeiro hospital público do Brasil a obter o selo “Materiality Disclosures”, emitido pela Global Reporting Initiative (GRI).

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of