A importância da terapia ocupacional no desenvolvimento infantil

Terapia Ocupacional

Após um acidente automobilístico, a família de Arthur Gomes da Silva, de 8 anos, precisou se adaptar a uma nova rotina de vida: a hospitalar. O paciente sofreu um traumatismo craniano quando tinha dois anos de vida.

“Quando nos mudamos para Canaã dos Carajás existia um medo de não acharmos todos os profissionais necessários para o tratamento do meu filho. O Hospital 5 de Outubro virou a nossa casa”, relatou Lilian Claudia da Silva, mãe de Arthur.

Com atuação pela Pró-Saúde no Hospital 5 de Outubro, Mirta Melissa Nunes Loureiro destaca que o terapeuta ocupacional desempenha ações em diferentes frentes durante o tratamento do paciente.

“O terapeuta ocupacional atua no âmbito da saúde coletiva, precisar lidar com questões sociais, de reabilitação física e psíquica e, principalmente, reintegração social”, ressalta a terapeuta.

No Hospital 5 de Outubro (HCO), unidade gerenciada pela Pró-Saúde, são atendidos desde recém-nascidos até idosos pela terapia ocupacional. “Qualquer pessoa que apresente alterações em seu desempenho ocupacional ou tenha dificuldades para realizar atividades cotidianas pode ser indicada para fazer terapia ocupacional”, explica Melissa.

A terapia ocupacional na vida de Arthur

Além da pediatria, a rotina de cuidados com a saúde de Arthur envolve os acompanhamentos com a fonoaudiologia e a terapia ocupacional realizadas uma vez por semana.

“O pequeno Arthur gosta de conversar e interagir com todos, principalmente quando chega no hospital. Expressa carinho. Mesmo de máscara de proteção, os sorrisos estão nos olhares. A gargalhada ecoa no consultório a cada comando novo que recebe”, explica a terapeuta.

Para a família, a pandemia da Covid-19 gerou receio que o acompanhamento profissional de Arthur ficasse comprometido. No entanto, parte do tratamento continuou de maneira virtual e gradativamente retornou ao formato presencial, seguindo os protocolos de segurança do hospital.

“Eu tenho gratidão por todos os profissionais de saúde que nos acompanham. Arthur já teve muitos progressos, principalmente na parte educacional com a escrita. Isso é um resultado da terapia ocupacional”, comemora a mãe.

O envolvimento da família também se tornar parte do tratamento. “A terapia ocupacional conecta pessoas ao que elas precisam fazer ou ao que elas querem fazer. As contribuições familiares no tratamento, com estímulo positivo e apoio, são fundamentais neste processo”, afirma Melissa.

Além dos casos relacionados a acidentes, o autismo, o Transtorno do Déficit de Atenção (TDA), Hiperatividade e o Alzheimer estão entre os principais casos com orientações de assistência com apoio de um profissional de terapia ocupacional.

No Hospital 5 de Outubro é possível obter mais informações sobre tratamento. Consultas podem ser agendadas pelo telefone (94) 3358-1211 ou pelo WhatsApp (94) 99127-0657.

A unidade, fundada pela empresa Vale e gerenciada pela Pró-Saúde, possui estrutura de atendimento para casos de até média complexidade. O hospital conta com diversas especialidades ambulatoriais, Pronto Atendimento 24h, instalações de internação com enfermarias e apartamentos individuais.

Ampliar fonte
Contraste