Paciente tetraplégica volta a ler sozinha com suporte criado no Hospital Galileu | Pró-Saúde
Voltar para home
Imprensa

Paciente tetraplégica volta a ler sozinha com suporte criado no Hospital Galileu

26/12/2017

Paciente tetraplégica volta a ler sozinha com suporte criado no Hospital Galileu

Há cerca de dois anos, L. S. L., de 35 anos, sofreu um trauma que há deixou tetraplégica. Ela foi vítima de violência contra a mulher, por isso, o uso de siglas para não identifica-la. Desde então, a paciente está internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), que é gerido pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), em Belém (PA). Durante todo esse período, ela sentia falta de muitas coisas da sua vida, uma delas era a leitura. “Ela dizia que queria poder ler sozinha, que perdia a paciência quando outras pessoas liam para ela”, conta a Terapeuta Ocupacional do HPEG, Lorena Rodrigues, que procurou a direção da unidade e a equipe da Manutenção, em busca de ideias para criar um suporte de livros adequado para a paciente.

O recurso foi criado dentro da própria unidade, a partir de materiais reaproveitados, como a base de inox de um ventilador que não funcionava mais. O suporte é flexível, higienizável, e permite que o livro fique posicionado à frente do rosto da paciente, sem necessidade de que outra pessoa segure o livro para ela. 

De acordo com o auxiliar de manutenção do HPEG, Givaldo Gonçalves, o material foi modificado várias vezes até que ficasse no tamanho ideal para ela, e era o tipo de recurso que não seria possível encontrar no mercado para comprar. “No total, levou uma semana para produzir o material no jeitinho para ela. Tudo que a gente faz aqui é em busca de fazer o melhor para o paciente, eles são a verdadeira história”, contou.

Primeiro livro

A primeira leitura que L. S. L. escolheu para fazer sozinha, com o auxílio do novo suporte, foi o livro “O Malabarista”, de Alessandro Kruschewsky Pithon. O motivo de ter escolhido este livro, ela mesma explica: “Eu gosto muito de livros de história verídica, e esse é, então estou gostando muito”, disse.

A Terapeuta Ocupacional, Lorena Rodrigues, revela também que a paciente já pede vários livros de presente para os colaboradores da unidade. “Todo mundo pergunta até quando ela vai ficar na unidade, que é para dar um livro para ela de natal, e ela ficar super feliz”, contou.

“Sempre gostei muito de ler, era uma coisa que eu sentia falta, e comecei a pedir, que eu queria poder ler sozinha. Eu não gostava quando os outros liam para mim, achava que a leitura não ficava interessante”, explicou L. S. L. Sobre o suporte para livros criado sob medida para ela, afirma sorrindo: “Foi muito importante para mim, porque agora eu consigo ler sozinha. Eu achei maravilhoso o que fizeram por mim”.

Humanização

A psicóloga do Hospital Galileu, Rebecca Moreira, explica que a leitura é um dos elementos utilizados com pacientes de longa permanência no hospital, pois tira a pessoa do foco do sofrimento da hospitalização, estimula a imaginação, além de torná-la cognitivamente mais ativa. Porém, ressalta que não teria o mesmo significado, senão atendesse uma necessidade específica daquela paciente. “Humanizar esse cuidado é ver a necessidade de cada um. Primeiro a gente precisa conversar com esse paciente e ver o que ele precisa”, afirmou.

“No caso dessa paciente, a leitura estimula a autonomia dela, porque ela sempre quis ler, mas não queria que ninguém lesse para ela. Então, a partir do momento que a gente oferece um recurso que possibilita que ela faça isso sozinha, é muito importante”, destacou.

Segundo a psicóloga, dar autonomia a um paciente tetraplégico estimula a melhora da autoimagem, da autoconfiança, ganhando um significado muito maior na vida do paciente. “Não é simplesmente um livro que eu ofereci, é o que isso significa na vida dela hoje. Isso é o atendimento humanizado”, declarou.

Tecnologia

Outros recursos utilizados no hospital para estimular pacientes de longa permanência são passeios ao ar livre na parte externa da unidade, pintura e escrita.  A paciente L. S. L. já faz uso de todos esses recursos, e mesmo sem conseguir mover braços e pernas, recomeça aos poucos a recuperar sua autonomia, chegando a pintar e escrever a primeiras palavras com o apoio de um pincel na boca.

A visita virtual, um projeto implantado no Hospital Galileu que busca “aproximar” parentes que estão distantes, também é utilizado pela paciente, que com o suporte de um tablet fornecido pela unidade, consegue se conectar com familiares que moram em outro país e conversar. “Isso tudo faz muita diferença para o paciente, só o fato dele sair da cama, conversar com os familiares, já é muito importante”, concluiu a psicóloga, Rebecca Moreira.

 

+ Notícias

24/01/2019 - Hospital Galileu premia profissionais mais elogiados pelos pacientes

23/01/2019 - Hospital Materno-Infantil de Barcarena participa da 1º Semana de Farmácia Hospitalar da Pró-Saúde

23/01/2019 - HEGV participa da Semana de Farmácia Hospitalar

23/01/2019 - As 10 principais ameaças para a saúde em 2019

23/01/2019 - CFM divulga que metade das prefeituras gastam menos de R$403 ao ano na saúde

21/01/2019 - Saúde: SBIm alerta os participantes da Jornada Mundial de Juventude sobre a importância da vacinação

21/01/2019 - Saúde: Ministério da Saúde brasileiro se preocupa com doença toxi-infecciosa vinda da Venezuela

21/01/2019 - Humanização durante o parto no HU fortalece vínculo entre mãe e bebê

21/01/2019 - Hospital Estadual de Urgência e Emergência conta com o serviço de Terapia Ocupacional

21/01/2019 - Pró-Saúde lança site do Hospital Materno-Infantil de Barcarena com foco na transparência dos serviços oferecidos para a sociedade

18/01/2019 - Pró-Saúde anuncia Semana de Farmácia Hospitalar com meta da Organização Mundial da Saúde

18/01/2019 - O papel do farmacêutico no ambiente hospitalar

17/01/2019 - Hospital Estadual de Urgência e Emergência realiza a 1ª Semana de Farmácia Hospitalar

17/01/2019 - IEC promove evento sobre cuidados paliativos

16/01/2019 - Saúde: Sobre o uso consciente dos antibióticos. Um desafio para a saúde pública

16/01/2019 - Metropolitano reforça a segurança da Unidade com a contratação de bombeiros civis

16/01/2019 - Com 180 mil atendimentos em 2018, Hospital Estadual de Urgência e Emergência é referência

15/01/2019 - Saúde: Incidência de picadas de escorpiões aumenta durante o verão brasileiro

14/01/2019 - Saúde: Suspeita de peste bubônica é investigada no Rio de Janeiro

14/01/2019 - Saúde: Lei institui mês de combate a hepatites virais

14/01/2019 - Hospital Oncológico Infantil recebe novos voluntários

14/01/2019 - Saúde - Para o novo governo, deputados sugerem ações para garantir melhor acesso da população à saúde pública

14/01/2019 - Saúde: Mais de 10.200 casos de sarampo foram confirmados no Brasil

11/09/2019 - Colaboradores do Hospital Estadual de Urgência e Emergência participam de atividades de gerenciamento de custos

10/01/2019 - Voluntários de projeto de passeio ciclístico adaptado no Parque do Utinga recebem orientações sobre primeiros socorros

10/01/2019 - Pró-Saúde completa um mês de gestão própria do Hospital São Luiz

09/01/2019 - Saúde: Nova proposta prevê a diminuição de riscos de eclâmpsia em gestantes

09/01/2019 - Saúde: SUS incorpora nova dosagem do medicamento para pacientes com esclerose múltipla

09/01/2019 - Saúde: SUS oferece novos procedimentos para pacientes com degeneração da retina

09/01/2019 - Colaboradores do Materno-Infantil de Barcarena recebem treinamento sobre Time de Resposta Rápida