Congresso Brasileiro Médico e Jurídico termina discutindo a saúde pública | Pró-Saúde
Voltar para home
Imprensa

Congresso Brasileiro Médico e Jurídico termina discutindo a saúde pública

29/09/2017

Congresso Brasileiro Médico e Jurídico termina discutindo a saúde pública

Após três dias de intensos debates em busca de soluções para melhorar o atendimento médico para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e também reduzir a judicialização da saúde no Brasil, o 5º Congresso Brasileiro Médico e Jurídico chegou ao fim em um clima de confraternização e sentimento do dever cumprido. Para o presidente nacional do 5º Congresso, João Pedro Gebran Neto, desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), o congresso está se desenvolvendo de modo muito positivo. “Sempre são temas que renovam não só as questões, mas também as abordagens. Na verdade, o congresso vai somando numa conscientização”.

Ele acredita que um ponto fundamental que o evento vem trazendo ao longo dos anos, são as diretrizes dos problemas do setor. Um dos pontos que considera importante é que a saúde pública, de modo geral, seja voltada para a atenção primária dos cidadãos. “Temos que prevenir e cuidar desde os procedimentos iniciais para que a situação de saúde não se agrave, e atender de modo adequado e rápido”.

Em sua opinião as Organizações Sociais são uma solução que vêm para ficar. “Acredito que nós vamos precisar das entidades privadas para poder atender 220 milhões de brasileiros, mas também devemos ter controle e fiscalização muito grande sobre a atuação de todas essas instituições, porque no Brasil nós não temos uma história muito feliz da relação público privado”, disse.

Ricardo Monteiro, presidente da Comissão de Direito Médico e da Saúde da OAB-AM, entende que é importante a contratação ou a terceirização da saúde pública por conta de todo o profissionalismo e capacitação em que elas transmitem e tentam levar ao trabalho. “O que, infelizmente, na administração pública não há. Por isso que eu entendo que é importante, caso haja a viabilidade, a terceirização das OS na saúde, devendo, contudo, respeitar os princípios da eficiência, da eficácia, da transparência da aplicação dos recursos públicos. É preciso entender que há uma transferência de tributos e que, querendo ou não, o cidadão tem direito a ter ciência de como estão sendo aplicados os recursos públicos”.

Ele conta que a Pró-Saúde, em Santarém, administra o Hospital Regional do Baixo Amazonas e faz uma administração primorosa. “O reflexo que o Hospital Regional do Baixo Amazonas deu para a região oeste do Pará foi extraordinária, uma região carente de saúde de qualidade, pois muitos naquela região procuravam a saúde em Manaus por conta da proximidade e, que a partir da implantação de uma gestão responsável e eficiente desenvolvida pela Pró-Saúde no Hospital Regional de Santarém, mudou o cenário. Agora nós temos uma saúde de qualidade para a população ribeirinha e para quem procura o hospital regional”, comenta.

Em seu discurso, de encerramento, o deputado estadual Hércules Silveira, presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa e diretor de articulação política do 5º COMEDJUR, comentou que o congresso melhora a cada ano. Para ele o Espírito Santo é hoje a capital brasileira da judicialização. Lamentou que os prefeitos não tenham comparecido, embora convidados, porque a judicialização tem prejudicado o orçamento dos municípios. “Precisamos de uma melhor avaliação de algumas ordens judiciais”, disse.

Quanto à ética, tema abordado no último dia do evento, ele lembrou que ela começa no voto e que falta de ética está em todos os lugares, até nas religiões. “No caso dos médicos, quando se fornece um atestado a uma pessoa que não está doente é falta de ética, é corrupção. Próteses sem necessidade, exames desnecessários, viajar por conta de laboratórios, isso tudo é falta de ética e corrupção. Passar alguém na frente para ser atendido ou para ser internado é corrupção”, afirma. Em sua opinião, o país está mudando e vai mudar. “Chegamos ao fundo do poço, a hora é essa. Teremos um país muito melhor do que temos hoje”, concluiu.

Para Remegildo Gava Milanez, presidente regional do 5º COMEDJUR, a tentativa de reduzir a judicialização e melhorar o sistema de saúde é boa para a sociedade. “Precisamos descer do pedestal e colocar o cidadão como foco principal”, afirmou.

Durante o último dia do evento estiveram em pauta os seguintes temas: Judicialização das Políticas de Saúde: causas, consequências e perspectivas e dispensação de medicamentos e OPME; Serviços de Saúde Suplementar: planos de saúde e as novas proposições de modelos populares; e por último uma mesa redonda sobre: Ética, Integridade, Regulação e Controle: a sustentabilidade dos serviços de saúde.

Também ficou decidido que o 6º Congresso Médico Jurídico será realizado de 25 a 27 de junho, de 2018, em Vitória, sob a presidência do médico Leonardo Vilela, secretário de Saúde do Estado de Goiás. 

 

+ Notícias

17/01/2018 - Hospital Estadual de Urgência e Emergência realiza a 1ª Semana de Farmácia Hospitalar

17/01/2019 - IEC promove evento sobre cuidados paliativos

16/01/2019 - Sobre o uso consciente dos antibióticos. Um desafio para a saúde pública

16/01/2019 - Metropolitano reforça a segurança da Unidade com a contratação de bombeiros civis

16/01/2018 - Com 180 mil atendimentos em 2018, Hospital Estadual de Urgência e Emergência é referência

15/01/2018 - Incidência de picadas de escorpiões aumenta durante o verão brasileiro

14/01/2018 - Suspeita de peste bubônica é investigada no Rio de Janeiro

14/01/2018 - Lei institui mês de combate a hepatites virais

14/01/2018 - Hospital Oncológico Infantil recebe novos voluntários

14/01/2019 - Para o novo governo, deputados sugerem ações para garantir melhor acesso da população à saúde pública

14/01/2019 - Mais de 10.200 casos de sarampo foram confirmados no Brasil

11/09/2019 - Colaboradores do Hospital Estadual de Urgência e Emergência participam de atividades de gerenciamento de custos

10/01/2019 - Voluntários de projeto de passeio ciclístico adaptado no Parque do Utinga recebem orientações sobre primeiros socorros

10/01/2018 - Pró-Saúde completa um mês de gestão própria do Hospital São Luiz

09/01/2019 - Nova proposta prevê a diminuição de riscos de eclâmpsia em gestantes

09/01/2019 - SUS incorpora nova dosagem do medicamento para pacientes com esclerose múltipla

09/01/2019 - SUS oferece novos procedimentos para pacientes com degeneração da retina

09/01/2019 - Colaboradores do Materno-Infantil de Barcarena recebem treinamento sobre Time de Resposta Rápida

08/01/2019 - Workshop reforça Segurança do Paciente com atividades lúdicas e interatividade

08/01/2019 - Mural das Virtudes promove melhoria nas relações interpessoais no Hospital Regional de Altamira

07/01/2019 - Com mais de 14 mil partos e três milhões de consultas, Pró-Saúde encerra gestão do Hospital Municipal Nossa Senhora da Luz dos Pinhais e da UPA 24h, no Paraná

07/01/2019 - Hospital Galileu divulga resultado de aprovados para o curso de Cuidador de Idosos

07/01/2019 - Colaboradores do HU arrecadam roupinhas para bebês durante curso

07/01/2019 - Hospital Metropolitano realiza formatura de ABC para paciente internado no Centro de Tratamento de Queimados

02/01/2018 - Mãe e bebê prematuro recebem visita familiar para o Natal no Hospital Materno Infantil de Barcarena

02/01/2019 - Programação Natalina leva esperança e solidariedade para pacientes do HRPT

02/01/2019 - Hospital 5 de Outubro realiza programação musical de Natal

02/01/2019 - Hospital Metropolitano realiza VI Semana SIPAT

28/12/2018 - CEIs participam de avaliação anual e promovem planejamento para 2019

28/12/2018 - Funcionários do HRPT fazem ceia de Natal para pacientes