Trio em Transe leva música aos pacientes do HU

A tarde desta terça-feira, 06/06, ganhou um “barulhinho” especial nas alas de internação da Maternidade e Pediatria do Hospital Universitário (HU) de Jundiaí (SP). Os componentes da banda jundiaiense, Trio em Transe visitaram os quartos da Unidade, levando um pouco de carinho, atenção e música popular brasileira aos pacientes. A aprovação foi geral. “O hospital aqui é muito animado, mais que lá em casa e isso deixa a gente mais disposta para ficar bem, ficamos mais radiantes. Além disso, passa coisas boas para os nossos acompanhantes”, relatou a jovem Tamires da Silva Santos, 16 anos.

 

Internada há um mês Tamires recebeu a banda na companhia do pai, Roginaldo Souza da Silva. Depois da apresentação, pediu para dar uma palhinha e posar para fotos ao lado dos músicos. “Eu fico ainda mais feliz que ela em vê-la assim, tão contente. Essa iniciativa é muito boa, as pessoas não ficam naquela tristeza, no tédio”, disse Silva.

 

A avó da pequena Sarah Gabrielly Barbosa, 11 meses, Marli Aparecida Roncada disse que a neta gosta muito de música. “Ela dança até com o toque de celular”, comentou. Assim que Fernando Nicioli (Fofão), Daniel Busanelli e Pedro Ivo Adami começaram a tocar seus instrumentos e cantar músicas infantis, Sarah logo começou a bater os pezinhos, em sinal de que estava gostando. “Sinto que ela ficou muito feliz, e tenho certeza que de alguma maneira servirá como um estímulo para que ela possa melhorar logo”, comentou a avó emocionada.

 

Em outro quarto, a banda encontrou dois jovens de 16 anos, ambos acompanhados de seus pais. Gabriel Almeida Ribeiro, que recebera pouco antes a informação de que teria alta médica, comemorou com o Trio. “Foi um grande presente receber eles aqui, ganhei o dia! Eu estava internado há 13 dias, e acho que essa ação tem que continuar, ajuda muito na recuperação de quem está aqui”, ressaltou o jovem que até pediu para a mãe, Arisleia Ribeiro, registrar uma foto com a banda.

 

Seu companheiro de quarto, Moises Ribeiro de Oliveira, ficou surpreso com a visita, pois também é músico. O pai, Benedito Lorival de Oliveira, foi logo avisando: “ele é meio modesto e não gosta de falar, mas toca teclado, violão, contrabaixo e guitarra”, disse. “Ah, então não podemos fazer feio! ”, brincou o músico Fofão que escolheu canções do Jota Quest para os adolescentes. “Só de ver eles tirarem um sorriso do meu filho a gente já sabe que ele está melhorando”, desabafou Oliveira.

 

Novo desafio

 

Para os integrantes da banda, o trabalho voluntário é um capítulo novo, que começou na semana passada por meio da capacitação para integrar a equipe do HU. “Sempre pensávamos em fazer algo neste sentido, mas nunca dava certo. Um dia procurei minha vizinha que é voluntária na AMA (Associação do Voluntário Amigo), disse que queríamos ajudar e ela nos estimulou, hoje estamos aqui”, afirmou Daniel Busanelli. “É uma experiência muito legal, o tempo passa rápido demais porque é muito bom. Quero poder fazer mais, e quanto mais a gente faz, mais a gente quer fazer”, contou Pedro Ivo Adami.

 

Na opinião do vocalista Fofão, ajudar é uma forma de retribuir. “Eu acredito que essa ação voluntária é obrigatória para quem recebe o dom de cantar, de levar alegria para as pessoas, faz parte da nossa missão. É uma forma de agradecer o nosso dom”, definiu ele. Com relação ao novo desafio, ele brincou: “viemos pelo cachê, recebemos uma quantidade enorme de energia e aprendizado”, finalizou.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of