Na abertura da Hospitalar 2018, estande da Pró-Saúde atrai público para palestras sobre cases de sucesso

Centenas de pessoas passaram pelo estande da Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar no 1º dia da 25ª edição da Hospitalar 2018, realizada no Expo Center Norte, em São Paulo.

O presidente da entidade, Dom Eurico dos Santos Veloso, a CEO, Wanessa Portugal, o diretor de Operações, Danilo Oliveira da Silva, o diretor de Gestão de Pessoas, Jocelmo Pablo Mews, e o diretor Administrativo e Financeiro, Miguel Paulo Duarte Neto, além de diretores de hospitais administrados pela entidade, acompanharam a solenidade de abertura do evento e receberam empresários da área da saúde no estande. O coordenador geral do Ministério da Saúde – Núcleo Estadual de São Paulo, José Carlos Paludeto, visitou o estande da Pró-Saúde após a cerimônia de abertura do evento.

Neste primeiro dia da Hospitalar 2018, a entidade apresentou dois cases de sucesso.

 

Hospital Oncológico Infantil, Belém (PA)

O projeto Canto da Empreendedora, realizado no Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, em Belém (PA), foi tema de palestra apresentada pela gerente do Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente da unidade, Viviane Andreia Lesses.

Implantado em setembro do ano passado, o projeto Canto da Empreendedora ocorre mensalmente, na recepção principal do hospital, com a ajuda de oito mulheres. O objetivo é incentivar a produção e o comércio de alimentos, cosméticos e outros produtos, buscando complementar a renda familiar das acompanhantes.

“A ideia saiu de um workshop. Criamos oportunidades para que possamos resgatar a potencialidade de cada mãe, uma vez que elas são dedicadas integralmente ao tratamento das crianças. O Canto da Empreendedora prepara a mulher para a volta a uma rotina normal, como a de antes do tratamento”, explicou Viviane Andreia Lesses.

Referência para os estados do Pará e Amapá, o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, gerenciado pela Pró-Saúde sob contrato com a Secretaria de Estado da Saúde do Pará, recebe 30 novos casos de câncer infantil por mês. Hoje, cerca de 900 pacientes estão em acompanhamento. Destes, 77% moram no interior do estado e 67% das famílias sobrevivem com um salário mínimo. “Além da saúde das crianças, nossa preocupação é dar condições e ferramentas para que as mães tenham uma alternativa de captação de renda mesmo após a alta hospitalar das crianças. Elas passam o maior tempo das suas vidas dentro do hospital”, afirmou Viviane.

O hospital apurou que 60% dos núcleos das famílias são compostos por mais de cinco pessoas e 100% das mães precisaram abdicar da vida para acompanhar o tratamento dos filhos. Neste mês de maio, o projeto chegou à décima edição, nove foram realizadas no Oncológico Infantil e uma no Hospital Público Estadual Galileu, também gerenciado pela Pró-Saúde, em Belém.

 

Hospital Estadual de Urgência e Emergência, Vitória (ES)

O Hospital Estadual de Urgência e Emergência, em Vitória (ES), criou painéis digitais dinâmicos que apresentam em tempo real informações sobre o atendimento dos pacientes. Localizados em vários setores do hospital, os painéis proporcionam a melhoria do tempo de atendimento. A iniciativa foi tema da segunda palestra no estande da Pró-Saúde, na Hospitalar 2018.

Com as ferramentas, os colaboradores são incentivados a desempenhar melhor suas funções, as informações chegam mais rápido e, consequentemente, os resultados também. “Os painéis foram desenvolvidos de acordo com a necessidade identificada em cada setor do hospital, com a finalidade de divulgar, em tempo real, as informações de gestão em substituição aos relatórios analíticos que demandavam tempo para serem analisados”, explicou o coordenador de TI, Alan Júnior.

No total, foram desenvolvidos cerca de 15 painéis. O Painel Kanban, baseado na metodologia de origem japonesa, permitiu a redução do tempo de atendimento no pronto-socorro em duas horas.

O painel monitora o paciente desde a entrada, com a classificação de risco, até a saída. Assim, a ferramenta mostra na tela do computador o status do atendimento e as pendências. 

“O gestor consegue acompanhar os processos em tempo real, aplicar ações de melhorias e intervir com medidas corretivas em caso de necessidade. Por outro lado, aumenta o nível de satisfação do paciente, uma vez que ele consegue acompanhar o próprio atendimento e se sentir assistido”, afirma diretor de apoio do hospital, Gerson Macagnan.

O Hospital Estadual de Urgência e Emergência realiza 8 mil atendimentos e 500 cirurgias mensais. No total, são mil colaboradores.