Mães ganham dia cheio de homenagens no Hospital Metropolitano

A ideia de passar o Dia das Mães dentro de uma unidade de saúde costuma assustar muitas mulheres. Seja no papel de acompanhantes de seus filhos e maridos ou quando elas são as pacientes, a data traz a vontade de estar em casa. Para amenizar a dor e não deixar o dia carregado de tristeza, o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE) promoveu uma programação especial na última sexta-feira, 12/5.

Colaboradoras, pacientes e acompanhantes foram homenageadas em diversos momentos durante o dia. No almoço, o Serviço de Nutrição e Dietética preparou um cardápio especial com saladas, bife ao molho madeira e bolo de coco de sobremesa. Uma apresentação com voz e violão animou o intervalo das colaboradoras, com direito a pedidos de música. À tarde, as comemorações seguiram na Clínica Pediátrica, onde um grupo de mães de pacientes participou de uma programação organizada pela Terapia Ocupacional. As mães assistiram a uma palestra sobre autoestima.

A terapeuta ocupacional do HMUE, Sandra Soares, explicou que a programação foi pensada para resgatar a preocupação das mães com elas mesmas. “A preocupação do dia a dia, ter que cuidar da casa, do marido e dos filhos faz com que muitas mães nunca tenham se percebido como mulheres”, explicou.

Para ajudar na melhora da autoestima, as mães foram convidadas a participar de uma aula de automaquiagem. Elas receberam orientações sobre como usar produtos que beleza e ressaltar seus pontos fortes. “Nossa intenção foi resgatar a alegria e pensar no futuro. Levar as mães a pensar que hoje estão aqui com seus filhos, mas vão sair daqui com ele bem”, afirmou.

As colaboradoras do setor de Psicossocial da unidade aproveitaram a passagem do Dia das Mães para organizar mais uma edição do projeto 'Laços', que se destina a acompanhantes de pacientes. Desta vez, o projeto aconteceu nas dependências do Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) e reuniu acompanhantes de pacientes da unidade.

As psicólogas do HMUE desenvolveram uma atividade de arte terapia, com uma dinâmica inicial de relaxamento. A música em formato de voz e violão também fez parte da atividade. A coordenadora de Psicossocial do Hospital Metropolitano, Betânia Mourão, explica que o projeto 'Laços' acolhe os acompanhantes e procura minimizar a dor de estar dentro de um hospital. “É uma ação para se voltar ao outro, para sentir o que o outro está sentindo e procurar distanciá-lo do sofrimento”, explica.

Uma das acompanhantes que participou da atividade foi a empregada doméstica Maria Lima. Moradora de Castanhal (PA), ela acompanha o irmão internado na unidade há mais de 15 dias em decorrência de um acidente com descarga elétrica na zona rural do município de Inhangapi.

Maria foi uma das participantes da atividade, que convidou as acompanhantes a escreverem sobre seus sonhos e do que gostariam de deixar para trás. Além do desejo de melhora para o irmão, ela falou sobre amor no cartaz que produziu. “Acredito muito no amor, creio que a gente deva amar não só nossos parentes, mas o próximo. Aquele que não é tão próximo de verdade. É muito fácil amar o pai, a mãe, o parente próximo. O desafio é amar quem não é próximo a quem você nunca viu. Isso é amor e o amor é muito importante para mim”, afirmou.

As homenagens às mães do HMUE encerraram com a apresentação do Grand Coral Metropolitano na recepção da unidade. Vestidas de branco e vermelho, as integrantes do coral entoaram músicas religiosas para celebrar as mães presentes.  A apresentação foi acompanhada por atenção por colaboradores e usuários.

Para a coordenadora do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH), Silvia Luthemeier, em ocasiões nas quais as mães são homenageadas os sentimentos afloram. “As mães se sentem amadas e os filhos ficam emocionados por poderem expressar o quanto esta figura é importante na nossa vida”, disse. “O coral representou muito bem o que os filhos sentem em relação às mães e o que elas gostariam de ouvir deles”, acrescentou.

Responsável pelo setor de Projetos Sociais e Eventos da unidade, Roberta Cardins, diz que a apresentação a apresentação do grupo traz a ideia de que as mães devem ser sempre homenageadas. “Esse carinho é importante para que elas vejam e sintam sua real importância”, finalizou.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of