Hurso realiza a primeira múltipla captação de órgãos

A equipe do Hospital de Urgências da Região Sudoeste (Hurso), em Santa Helena de Goiás (GO), ficou sensibilizada nesta quinta-feira, 16 de março, quando participaram da captação de quatro órgãos para a Central Nacional de Transplantes.

A família de Kawane Silva de Miranda, doadora dos órgãos, acompanhou todo o processo, e todos ficaram muito emocionados quando a equipe da Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos de Goiás (CNCDO-GO) lhes entregou a carta de agradecimento pelo ato.

O processo para a realização do transplante de órgãos ocorre por meio da Comissão Intra-Hospitalar de Doações de Órgãos e Tecidos (CIHDOTT). Em 2016, a equipe do Hurso foi capacitada por essa comissão, que contemplou a sensibilização da comunidade e usuários da unidade sobre a importância da doação. A psicóloga Emanueli Sperandio disse que processos como esse demandam maior tempo e dedicação, já que o assunto ainda é pouco discutido e disseminado entre a população.

Nesta primeira captação de órgãos do Hurso, um grande trabalho em equipe foi realizado. Da captação, até a cirurgia de transplantes dos órgãos, os seguintes profissionais compuseram a equipe que participou dos procedimentos: Gustavo Prudente Gonçalves, médico da CNCDO-GO; Monique Silverio Godoy de Oliveira, médica da Hurso; quatro enfermeiras do Hurso, Rosilene Ribeiro, Michele Palandrini, Mariane Marques e Cátia Almeida, e três da CNCDO-GO, Geovana Oliveira, Karla Barreto e Leila Márcia; duas técnicas de Enfermagem, Rosilene da Silva e Luciana Cristina Amaro; além da instrumentadora Michelle Rodrigues.

A coordenadora de Enfermagem, Rosilene Ribeiro, agradeceu a todos que participaram desse importante momento. “Desde o motorista que buscou e levou os órgãos às equipes, passando pelo Serviço Social, que ajudou no acolhimento, a executora que acompanhou as equipes, até o pessoal que ficou de longe, apenas torcendo para que tudo desse certo. O sentimento final é de gratidão”, destacou.

A coordenadora Rosilene e a psicóloga Emanueli ressaltam que tudo foi realizado em contato direto com a família e reafirmaram a importância desse processo. “A família está muito grata com toda a equipe do Hurso, apesar da perda de um ente querido”, afirmou Rosilene. E a psicóloga completou: “a aceitação da perda precisa de tempo, mas a família tinha certeza da realização da doação”.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of