“HMUE Saudável” promove novos hábitos alimentares entre colaboradores da Pró-Saúde

Há seis meses, o assistente Administrativo Patrick Carvalho decidiu mudar seus hábitos alimentares após um problema de saúde. Desde então, já são 12 quilos a menos e melhor qualidade de vida. A decisão do colaborador da Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua (PA), coincidiu com o início da implantação do programa “HMUE Saudável”.

Idealizado pelo diretor Administrativo Financeiro da unidade, Itamar Monteiro, o programa foca na melhoria da qualidade de vida dos colaboradores. Na ação, os trabalhadores são estimulados a mudar seus hábitos alimentares como forma de evitar o crescimento da obesidade e sedentarismo entre os colaboradores da Pró-Saúde no Metropolitano.

Em atividade desde fevereiro, o “HMUE Saudável” ganhou lançamento oficial nesta quinta-feira, 24/8, na recepção da unidade. Uma decoração temática com bolas, bambolês e cores usadas em roupas de academia chamaram a atenção dos presentes na cerimônia. Durante o lançamento foi apresentado o resultado da pesquisa que mapeou o perfil epidemiológico dos colaboradores do HMUE no final de 2016.

A formatação do “HMUE Saudável” veio a partir destas informações. Assim, foi  possível oferecer planejamento alimentar em um consultório nutricional sob responsabilidade do Serviço de Nutrição Dietética (SND) e aulas de ginástica laboral orientadas por uma fisioterapeuta do trabalho.

Foi no consultório nutricional com as orientações da nutricionista Lorena Begot, que o assistente administrativo do setor de Administração de Pessoal encontrou a possibilidade de aprender a comer. “No consultório aprendi que posso me alimentar de forma moderada. A nutricionista me proibiu de comer algo? Não, me ensinou que posso ter satisfação sem precisar comer muito”, contou.

Com os novos hábitos, o colaborador passou a perder peso, o uniforme ficou folgado e ele passou a despertar a atenção dos colegas. “Muitos me perguntaram se fiz cirurgia bariátrica ou se tive depressão, mas não foi nada disso. Apenas aprendi a comer melhor”, divertiu-se. As proibições passaram longe do acompanhamento nutricional de Patrick. “A nutricionista não me proibiu de comer bolo, por exemplo, mas agora como uma fatia e não um bolo inteiro”, relatou.

Depois da curiosidade sobre o emagrecimento do assistente administrativo, os novos hábitos adotados por ele passaram a servir de exemplo aos colegas. “Já ouvi de algumas pessoas que sou um exemplo, sinto-me muito honrado por isso. Agradeço a oportunidade de participar do projeto. De uma doença veio a saúde”, afirmou.

O “HMUE Saudável” nasceu de um esforço corporativo da Pró-Saúde, que incluiu a formação de uma equipe exclusiva de Medicina do Trabalho estruturada com médicos, enfermeiras, técnicas de Enfermagem e assistente administrativo. “Com o desmembramento do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT) em Segurança e Medicina do Trabalho, esta última passou a contar com uma coordenadora médica que pudesse estar à frente dos projetos do setor”, revelou Itamar Monteiro.

A nova configuração do setor englobou mudanças na estrutura física. “A reforma do ambiente da Medicina do Trabalho trouxe mais conforto para os atendimentos”, acrescentou o gestor. Com estas mudanças o programa pôde ser aplicado com sucesso. “O ‘HMUE Saudável’ é importante para conscientizar nossos colaboradores para a importância da alimentação saudável, controle do peso e atitudes do dia-a-dia como tomar bastante água”, avaliou.

Além do acompanhamento nutricional e das atividades de ginástica laboral, o “HMUE Saudável” promoveu mudanças na alimentação de todos os colaboradores que fazem refeições nas dependências da unidade.

A médica do Trabalho, Taís Sampaio, explicou que foram introduzidos alimentos integrais no cardápio servido diariamente no refeitório. “Tivemos o aumento da quantidade de verduras e legumes. O suco é natural e todos recebem uma fruta na sobremesa. Foram melhorias implantas pelo programa pensando no colaborador”, disse. “O importante é fazer a dieta indicada e voltar no retorno programado pela nutrição para que consigamos mensurar os resultados”, orientou.

Ainda na apresentação dos resultados da pesquisa, a nutricionista Lorena Begot falou dos dez passos da alimentação saudável e orientou os colaboradores a focarem sua mudança alimentar no trabalho de compensação. “Se vou comer pizza hoje, amanhã manero na alimentação. O importante é mudar, mesmo que seja devagar”, disse.

Lorena disse falou também da necessidade de comer mais frutas e legumes no dia-a-dia. O consumo de sal e de produtos industrializados é uma orientação constante no consultório nutricional do HMUE. A profissional foi categórica ao comentar modismos alimentares que deixam de lado o consumo de alimentos como o leite. “Se você não tem alergia, faça uso do leite porque lá na frente seu organismo vai cobrar”, falou.

Depois de ouvir o depoimento do colaborador da Administração de Pessoal e os resultados da pesquisa de perfil epidemiológico, os presentes participaram de uma sessão de ginástica laboral. Ao som de “Despacito”, todos seguiram as orientações da fisioterapeuta do trabalho, Daniella Tota, para fazer movimentos de fortalecimento dos músculos e, assim, evitar dores nas costas e doenças laboriais como as Lesões de Esforço Repetitivo (LER).

Mudança de hábito

Uma das mais empolgadas com a atividade foi a faturista Cátia Pereira. Também participante do “HMUE Saudável”, a colaboradora elogiou a iniciativa. “Foi muito bom fazer a atividade com música, foi um complemento ao que fazemos na semana”, disse.

Cátia está em acompanhamento desde julho e já começou a ver os resultados das mudanças na rotina alimentar. “As roupas já estão folgadas. as meninas do setor já perceberam e me contaram, mas ainda não me pesei porque só quero saber no retorno”, disse. Ela contou que a mudança deu-se principalmente  no jantar. “Antes eu ia forte no jantar (risos), mas agora estou comendo coisas leves, só fazendo lanches”, sorriu.

Ao final foi servido um lanche saudável, que pode ser facilmente reproduzido em casa pelos colaboradores. A nutricionista do SND, Aglais Neta, contou que os ingredientes escolhidos são de fácil acesso. “Servimos dois tipos de bolo, um de cenoura e um de aveia com passas. A aveia é a base e a fruta pode ser trocada por banana, abacaxi ou outra que a pessoa quiser. O benefício da aveia é facilitar a digestão e combater o colesterol ruim. A cenoura tem vitamina A, que ajuda na saúde dos olhos e na pele”, apontou.

A refeição ainda teve sucos desintoxicantes feitos com cenoura e limão galego, produto muito popular nas feiras livres da Região Metropolitana de Belém (PA), e abacaxi com couve. Ambos ajudam a melhorar a digestão e limpar o organismo.

Os colaboradores também receberam uma garrafa estilizada com a logomarca do projeto. Com a iniciativa, a unidade conseguirá diminuir o uso de copos descartáveis e incentiva os colaboradores a se hidratarem durante as atividades laborais.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of