Colaboradores do Hospital 5 de Outubro participam de treinamento para atendimento a múltiplas vítimas

Eram quase 15h30 da tarde desta segunda-feira (12/11), quando sete vítimas de um acidente automobilístico deram entrada no Hospital 5 de Outubro (HCO), gerido pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, em Canaã dos Carajás (PA). Este fato, na verdade, fez parte de uma simulação com personagens que compuseram os pacientes com fraturas, escoriações e queimaduras para o atendimento emergencial pela equipe Assistencial do Hospital por meio do Plano de Catástrofe de Múltiplas Vítimas. 

Em parceria com o Corpo de Bombeiros, essa é a primeira vez que o HCO realiza este treinamento junto à equipe da Unidade, que contou com duração de 50 minutos e a participação de 50 pessoas. 

O Plano de Catástrofe tem a finalidade de organizar e racionalizar os recursos humanos e materiais disponíveis na Unidade, através de um conjunto de ações estrategicamente planejadas, para atender imediatamente e simultaneamente várias vítimas de catástrofes naturais ou de acidentes diversos ao mesmo tempo. 

Com bastante realidade, a ação iniciou em frente ao Corpo de Bombeiros, com a simulação de uma colisão entre dois carros. Os profissionais da Corporação imediatamente acionaram a ambulância do HCO e ambas conduziram as vítimas para a unidade hospitalar, que foram atendidas rapidamente pelos profissionais do Hospital, que se remanejaram de outros setores, já outros precisaram ser acionados de acordo com o fluxo previsto no plano. Todos os pacientes foram triados e atendidos de forma real. 

De acordo com a gerente Assistencial Renata Chiquetti, o objetivo da simulação foi capacitar os profissionais envolvidos e promover a organização interna do fluxo de atendimento no HCO. “Esse tipo de treinamento é muito importante, por isso fizemos de forma bem realista, pouquíssimas pessoas sabiam, pegando todo mundo de surpresa. Desta forma, conseguimos observar como a nossa equipe está para atender esse tipo de caso que não é muito comum. Por isso, quanto mais preparados eles tiverem, maior as chances de pacientes com sobrevivência”, disse a profissional.

A diretora Técnica do HCO, Mirley Castro, explicou que a condução da programação buscou cumprir cada fase prevista no Plano de Catástrofe, desde o acionamento e dimensionamento da equipe Assistencial até a distribuição das vítimas dentro da Unidade, de acordo com a gravidade de cada caso. 
“Podemos concluir que o nosso simulado foi muito produtivo, conseguimos detectar várias qualidades da nossa equipe”, contou.

Para a voluntária da simulação, Kalyne Soares, esse tipo de iniciativa é de grande valia. “Enquanto vítima, eu acredito que situações como essas vem para fortalecer a qualidade do atendimento”, declarou.

Sobre o HCO

O Hospital 5 de Outubro foi fundado pela empresa Vale e projetado para apoiar as operações da Mina Sossego e a implantação do projeto S11D.

A unidade hospitalar possuí estrutura de pequeno porte, com capacidade para atender casos de até média complexidade e congrega ambulatório para consultas eletivas, Pronto Atendimento 24 horas, instalações de internação com enfermarias e apartamentos individuais e suporte diagnóstico em: laboratório de patologia clínica, Ultrassonografia, Mamografia, Radiologia, Eletrocardiograma, entre outros, e atendimento clínico nas especialidades de Clínica Médica, Cardiologia, Oftalmologia, Pediatria, Cirurgia Geral,  Fonoaudiologia, Ginecologia/ Obstetrícia, Ortopedia, Psicologia e Nutrição.

O Hospital 5 de Outubro possui 22 leitos, sendo seis apartamentos individuais e 16 leitos de enfermaria coletiva. A unidade possui, também, um centro cirúrgico com duas salas de cirurgias e quatro leitos de recuperação pós-anestésicos.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of