87% dos atendimentos da UPA 24h do Oropó são pouco ou não urgentes

A UPA 24h Oropó, em Mogi das Cruzes (SP), atendeu nos três primeiros meses de funcionamento 18.966 pacientes. Deste total, 87% foram classificados como pouco ou não urgentes.

A supervisora de Enfermagem, Tatiane Moreti, ressalta que a UPA 24h está à disposição da população, porém, a prioridade de atendimento é de casos de urgência e emergência. “A unidade é de porte 2, o que significa que ela conta com todo o suporte para atender casos de uma criticidade mais alta”, destacou.

A enfermeira revelou que há pacientes que procuram atendimento em busca de troca de receita, encaminhamento para especialistas, pedidos de exames e até mesmo vacinação, não oferecidos na UPA. “Estes serviços são oferecidos na rede básica. A orientação é para que o paciente que precise desse tipo de atividade procure a unidade básica de saúde ou o PSF (Programa de Saúde da Família) mais próximo de casa”, explicou.

Inaugurada em 23 de dezembro de 2016, a UPA 24h Oropó adotou o protocolo de atendimento por meio de classificação de risco. Isso significa que as consultas ocorrem de acordo com a gravidade do paciente e não pela ordem de chegada.

São quatro tipos possíveis de classificação. Após uma triagem feita por uma enfermeira e com base nos sintomas, os pacientes são classificados por cores, que representam o grau de gravidade e o tempo de espera recomendado. A identificação é feita com pulseiras.

Aos pacientes com sintomas de doenças mais graves é atribuída a cor vermelha, com atendimento imediato; os urgentes recebem a cor amarela, com um tempo de espera de até 30 minutos; os casos pouco urgentes, de cor verde, têm um tempo de espera recomendado de duas horas. Quem recebem a cor azul, casos de menor gravidade (pouco urgentes) devem ser atendidos no espaço de até quatro horas.

Mesmo com as determinações do protocolo, o tempo médio de espera na UPA 24h Oropó é baixo — 99% por cento dos pacientes esperaram menos de meia-hora para ser atendidos.

Pouco urgente

Desde a abertura da UPA, a maioria dos pacientes atendidos recebeu a classificação de risco verde, ou seja pouco urgente. Essa quantidade, no entanto, tem aumentado. Se em janeiro deste ano, 48% do total de atendimentos receberam a pulseira verde, fevereiro esse número cresceu para 55% e, em março, atingiu 83%.

O mesmo tem ocorrido, mas em uma escala menor, com pacientes classificados como “urgentes” (amarelo), que representavam 9%, em janeiro; 12%, em fevereiro; e atingiu 14%, em março.

Já os casos de pacientes com pulseira azul, pouco urgente, tem caído drasticamente: janeiro: 48%; fevereiro: 48%; e março: 2%.

“Aos poucos, os pacientes vão compreendendo como a rede de saúde funciona. A cidade oferece todos os atendimentos necessários, mas o paciente não os encontrará em uma única unidade, por isso, é preciso compreender onde encontrar cada serviço”, avaliou Tatiane.

A UPA 24h Oropó é administrada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, por meio de um contrato de gestão com a Prefeitura via Secretaria Municipal de Saúde.

 

Distribuição do atendimento da
UPA 24h Oropó por classificação de risco

 
 

 

Pacientes classificados na cor…

Janeiro

Fevereiro

Março

Azul (atendimento em até 4h)

48%

31%

2%

Verde (atendimento em até 2h)

42%

55%

83%

Amarelo (atendimento em até 30 minutos)

9%

12%

14%

Vermelho (atendimento imediato)

1%

1%

1%

Total

100%

100%

100%

 

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of