Hospital Municipal abre a UTI e antecipa em três anos o seu funcionamento pleno - G1 | Pró-Saúde
Voltar para home
Imprensa

Na Mídia

Hospital Municipal abre a UTI e antecipa em três anos o seu funcionamento pleno - G1

 

Nesta segunda-feira (06/04), o Hospital Municipal de Mogi das Cruzes realizou seis cirurgias, de um total de 38 procedimentos de média complexidade programados para esta semana, nas especialidades de Ginecologia, Cirurgia Geral, Otorrinolaringologia, Urologia e Vascular. A ampliação no volume e na complexidade dos procedimentos cirúrgicos são avanços garantidos a partir do funcionamento da UTI – Unidade de Terapia Intensiva e de todos os andares de internação, antecipando em três anos o funcionamento pleno da unidade, inicialmente previsto para 2018. A conquista é comemorada nesta terça-feira, 7 de abril, Dia Mundial da Saúde.

O prefeito Marco Bertaiolli esteve no Hospital Municipal nesta manhã para acompanhar os novos trabalhos e saudar a equipe. Para o início desta nova etapa, 96 profissionais foram contratados, dos quais 15 médicos, o que totaliza 324 funcionários diretos. Outras 105 contratações já estão programadas para o mês de maio. “Enquanto o País está em recessão, demitindo, nós aqui em Mogi aumentamos o número de postos de trabalho", disse o prefeito, acompanhado do vice-prefeito José Antonio Cuco Pereira, do secretário municipal de Saúde, Marcello Cusatis, do vereador Claudio Miyake, do coordenar hospitalar da Prefeitura de Mogi, Paulo Villas Bôas de Carvalho, e dos diretores do Hospital Municipal e da Pró-Saúde.

Com o funcionamento dos 10 leitos da UTI adulta, além do quarto, quinto e sexto andares do setor de Internação, todos os setores do hospital – Pronto Atendimento Infantil, Ambulatórios da Mulher e de Especialidades, Serviço de Apoio Diagnóstico Terapêutico - SADT, Internação, Centro Cirúrgico e UTI – estão aptos a receber pacientes. “Conseguimos superar todas as dificuldades que surgiram desde a inauguração e os serviços que eram para entrar em atividade de forma escalonada, até 2018, foram antecipados", ressaltou o prefeito.

Bertaiolli afirmou, ainda, que a grande responsabilidade do Hospital Municipal será oferecer atendimento ao grande gargalo da saúde pública: as cirurgias de baixa e média complexidades, principalmente, na área ginecológica. "Antes de abrir um Pronto Atendimento Infantil e se transformar em referência em cirurgias, nós analisamos a demanda existente no município e qual seria a vocação do Hospital Municipal", lembrou. "Não adianta oferecer aqui serviços que já são oferecidos em outras unidades, como na Santa Casa e no Luzia de Pinho Melo. O mogiano precisa entender que tudo o que ele procura tem na rede pública de saúde, mas nem tudo está em uma mesmo prédio", destacou.

O secretário municipal de Saúde, Marcello Cusatis, fez uma apresentação do balanço de atendimentos realizado desde o início das atividades, em 30 junho de 2014, até o dia 30 de março de 2015. Em nove meses, o Hospital Municipal realizou 139.852 procedimentos, sendo 45.405 atendimentos no PA infantil; 23.492 nos Ambulatórios; 70.229 exames de apoio diagnóstico e 726 cirurgias de pequeno porte, entre ambulatoriais e no Centro Cirúrgico. "Não é possível mais imaginar a saúde de Mogi das Cruzes sem o Hospital Municipal", destacou Cusatis.

A partir de agora, o hospital está capacitado para realizar até 420 internações na UTI adulto; 2,4 mil cirurgias nas especialidade de clínica médica, clínica cirúrgica e pediatria; 1,2 mil cirurgias ambulatoriais; 54 mil consultas ambulatoriais; 72 mil atendimentos no PA infantil; e 225.720 exames por ano.

<< voltar