O que se sabe até agora sobre a corrida das vacinas contra a Covid-19? Conheça as principais candidatas

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), há 164 vacinas para Covid-19 sendo desenvolvidas, no momento, ao redor do mundo. Dentre elas, 26 estão sendo testadas em humanos e as demais estão mais distantes, em estágios pré-clínicos de desenvolvimento.

Mas, o que é necessário para que as vacinas virem realidade?

Existem três etapas de estudos clínicos em humanos. A primeira fase retrata a segurança da vacina, já a segunda avalia se o corpo humano cria imunidade para o vírus. E a última, onde as principais candidatas estão situadas, verifica sua eficácia.

Finalizadas essas etapas, a vacina pode ser produzida em massa e distribuída. Por conta de sua urgência, algumas candidatas iniciaram testes na terceira etapa antes mesmo da divulgação dos resultados das fases anteriores.

Testes avançados

Com tantas vacinas em desenvolvimento, fica difícil de acompanhar todas as novidades e as informações, que mudam rapidamente. Por isso, listamos aqui as seis vacinas que estão mais avançadas no processo de teste e aprovação:

A mais comentada e mais avançada, segundo a OMS, é a inglesa ChAdOx1 nCoV-19, da Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica britânica AstraZeneca. Os resultados das duas primeiras fases, realizadas com cerca de 1.100 voluntários, divulgados no dia 20 de julho, constataram segurança e resposta imunológica.

Ainda no início de junho, a terceira fase de testes já havia sido iniciada, com a realização de estudos em larga escala no Reino Unido, Brasil e África do Sul. A OMS evita falar em prazos e alerta que ainda há um longo caminho a ser percorrido, podendo estar disponível apenas em 2021.

Demais candidatas:

> BNT162b2: Produzida pelo laboratório norte americano Pfizer e pela empresa alemã de biotecnologia BioNTech, as vacinas conseguiram autorização para serem testadas por 30 mil pessoas, inclusive no Brasil, no dia 27 de julho. Os resultados primeiras fases dos testes ainda não foram publicadas, mas as empresas preveem que possa ser produzida 100 milhões de doses da vacina até o final de 2020.

> Ad5-nCOV: Produzida pela empresa chinesa CanSino Biologics, a vacina foi testada por 508 voluntários e obteve bons resultados na segunda fase no dia 20 de julho. Ainda estão sendo feito estudos para definir como funcionará a terceira etapa.

>mRNA-1273: Em desenvolvimento pela americana Moderna Therapeutics, é uma das mais promissoras. Também foi aprovada na segunda fase, com 100% de sucesso, e está sendo testada em 30 mil voluntários nos Estados Unidos.

> CoronaVac: Produzida pela chinesa Sinovac, a vacina iniciou, no dia 20 de julho, testes na terceira fase em 9 mil voluntários no Brasil, por meio de uma parceria com o Instituto Butantan em São Paulo. Ainda não foram publicados os resultados das primeiras fases.

> Vacina da Sinopharm: Ainda sem nome definido, a vacina produzida pela estatal chinesa Sinopharm, em parceria com o governo dos Emirados Árabes Unidos, está sendo testada em 15 mil pessoas no país do oriente médio. Não há informações sobre as primeiras etapas da vacina.

Ampliar fonte
Contraste