Grávida pode fazer atividade física? Conheça os benefícios de praticar exercícios na gestação

Gravidez

Ginecologista comenta os principais tipos de exercícios e as recomendações para a prática segura durante a gravidez

O pré-natal é uma oportunidade crucial para acompanhar a saúde da mãe e do bebê durante a gestação, além de proporcionar cuidado, apoio e informação. A Organização Mundial da Saúde (OMS) preconiza algumas diretrizes para os cuidados que as gestantes devem receber a cada contato com o sistema de saúde.

Além das orientações sobre uma dieta saudável e nutrição ideal, as atividades físicas e suplementação corretas também atuam no combate de sintomas fisiológicos comuns durante a gravidez, como náuseas, dores nas costas e constipação.

Segundo Evelyn de Souza, ginecologista da Pró-Saúde, a atividade física é de grande importância para a saúde da mulher. “Os exercícios diminuem as dores na hora do parto e nas costas, fortalecem a musculatura e favorecem o parto normal”, destaca.

A especialista ressalta que a gestante deve ser avaliada por um profissional de saúde antes de começar qualquer atividade. “Com as orientações corretas tudo se encaminha para uma gravidez tranquila”, diz.

A OMS também recomenda suplementação de ferro, ácido fólico e outros nutrientes que devem ser individualizados de acordo com a saúde de cada gestante. Isso evita doenças que podem impactar na saúde da mulher e do bebê na gestação, como anemia materna, sepses puerperais, baixo peso e prematuridade.

Entre as práticas de exercícios físicos durante a gravidez, as mais comuns são:

Caminhada: ideal para mulheres que eram sedentárias antes de engravidar; recomenda-se de três a quatro vezes por semana;

Pilates: melhora a respiração, frequência cardíaca, alonga, fortalece os músculos e é ótimo para a postura;

Yoga: promove o alongamento, a respiração e não possui impacto nas articulações. Além disso, ajuda a recuperar a energia, relaxar, melhorar a circulação e postura, evitando as dores na lombar, típicas nesse período, principalmente, durante as últimas semanas da gravidez;

Musculação leve: as grávidas que já faziam musculação antes de engravidar e que tinham um bom condicionamento físico, podem fazer exercícios de musculação, mas devem diminuir a intensidade dos exercícios para evitar sobrecarga da coluna, joelhos, tornozelos e assoalho pélvico.

“É importante ressaltar que as atividades físicas também ajudam a diminuir a ansiedade, liberam serotonina e endorfina, além de melhorar a circulação da placenta, permitindo que o bebê receba mais oxigênio e nutrientes”, destaca a ginecologista.

Olá!

Este é o blog Vida Saudável, um espaço focado nas melhores dicas e informações sobre saúde e bem-estar, tudo com a assinatura da gestão Pró-Saúde.

Aproveite!


Últimos posts

Ampliar fonte
Contraste